Os posts nas redes sociais se multiplicam de forma acelerada. São imagens jogadas na web de pessoas saindo de casa para trabalhar, na academia, tomando café, almoçando, viajando... O que vale é registrar o momento e contar para os amigos como está o dia. Um fenômeno crescente que pode até ser criticado por alguns grupos, mas sua força não pode ser ignorada.

Saturadas com informações pessoais, as redes sociais têm se tornado um território ideal para a ação de criminosos. Usando sites como ferramentas de reconhecimento, um invasor pode enviar uma mensagem direcionada, chamada de spearphishing, na qual ele tenta persuadir um usuário a visitar uma página falsa, que parece ser legítima, com o objetivo de roubar credenciais e dinheiro. O alerta é da Eset, empresa de segurança em tecnologia, que monitora diariamnte as invasões em sites e redes sociais.

Técnicas de manipulação também são usadas para o usuário abrir um anexo infectado, que age como um malware com a capacidade de filtrar dados ou gravar tudo o que é digitado no computador. "Vivemos em uma época em que tudo é compartilhado. O surgimento de sites e plataformas de rede abriu uma nova maneira de compartilhar todos os tipos de informações pessoais", diz Camilo Gutierrez, chefe de laboratório da Eset América Latina.

Segundo ele, é importante parar e analisar os riscos aos quais você está sendo exposto ao compartilhar informações pessoais nas redes sociais. Também é recomendável configurar as permissões dos aplicativos para filtrar quem pode ver as atividades.

Saiba como se proteger:

  • Revise e configure as opções de privacidade disponíveis em cada uma das redes sociais usadas.
  • Sempre que possível, limite o máximo possível o acesso de pessoas que podem ver o que está sendo feito.
  • Analise o que você vai publicar, porque assim que algo é publicado, você perde o controle sobre o que os outros fazem com esse material. O mais seguro é sempre evitar publicar o que não gostaria que o público visse.
  • Pense como um invasor: as informações compartilhadas podem ser usadas contra mim? Se a resposta for sim, é melhor não postar.
  • Tenha cuidado com mensagens suspeitas. Se a mensagem contém links ou coisas que soam boas demais para serem verdade, desconfie. Essa recomendação se aplica também para mensagens enviadas por conhecidos, pois um invasor pode ter violado a conta dele.
  • Verifique pedidos de amizade, o ideal é aceitar solicitações de amigos, conhecidos ou pessoas com quem você tem amigos em comum na vida real.
  • Atualmente, os perfis também são analisados ​​por consultores de recursos humanos ou antes de uma reunião com uma pessoa pela primeira vez.

Leia mais:

TRF multa WhatsApp e Facebook por descumprimento de decisões judiciais
Golpe que usa vagas de emprego como isca para roubar perfis no Facebook já fez 300 mil vítimas
Golpes do Dia dos Namorados no WhatsApp atingem 1.500 pessoas por hora; veja como se proteger