Uma ação conjunta das polícias civil de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e do Rio Grande do Sul, conseguiu prender na noite dessa terça-feira (19) o homem suspeito de ser o executor do triplo homicídio de trabalhadores sem-terra em Minas, que ficou conhecido como Chacina de Miraporanga, no dia 24 de março deste ano.

Rodrigo Cardoso Fric, 25 anos, foi encontrado na cidade de Gravataí, Região Metropolitana de Porto Alegre, e assumiu a autoria dos disparos que mataram os trabalhadores.

Outros cinco suspeitos de envolvimento no crime também estão presos. Eles teriam desempenhando diferentes funções, como mandante, planejando a mortes e levantando informações para a execução. Os veículos utilizados no crime foram apreendidos. Os policiais continuam as investigações para encontrar a arma de fogo de onde partiram os disparos.

A chacina

Valdir Dias Ferreira, 39 anos, Milton Santos Nunes da Silva, 52, e Clestina Leonar Sales Nunes, 47, pertenciam ao Movimento de Libertação dos
Sem Terra (MLST) e viviam no acampamento 21 de Agosto, na Fazenda São José dos Cravos, em Prata.

Eles viajavam num automóvel com destino a Uberlândia, no dia 24 de março, quando foram abordados por quatro homens, às margens da Rodovia MG-455, entre o distrito de Miraporanga e a cidade de destino. Um dos suspeitos, Rodrigo Cardoso Fric, teria efetuado os disparos contra a cabeça das vítimas. Uma criança de cinco anos que também estava no veículo não foi atingida.

Após o crime, o suspeito teria fugido de Minas para o Rio Grande do Sul, seu estado natal, onde estava morando com sua mãe.