Um homem, de 26 anos, suspeito de agredir e estrangular uma mulher, de 22, até a morte, em Joinville, Santa Catarina, foi encontrado e preso quando estava em um bar em João Monlevade, na região Central de Minas. O crime teria sido cometido, no dia 9 de março, dentro do apartamento dele. 

Segundo o delegado Dirceu Silveira, de Joinville, o suspeito comprou uma geladeira usada para esconder o corpo e jogou o eletrodoméstico dentro de um ribeirão. "Mas entre os dias 14 e 15 houve uma chuva muito forte aqui e, por isso, a gente imagina que a geladeira acabou se abrindo, revelando o corpo já em avançado estado de decomposição", explica. 

O corpo e a geladeira foram arrastadados pela correnteza e encontrados em uma vala na zona sul de Joinville. 

Na cidade mineira, o suspeito foi preso em flagrante no último sábado (27) por portar documentos falsos, segundo a Polícia Civil de Minas Gerais. Os investigadores receberam uma denúncia anônima indicando que um homem com mandado de prisão em aberto estava em um bar e foram até o local. Lá, o suspeito apresentou um documento falso e acabou sendo preso. Pouco depois ele confirmou que tinha um mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça de Santa Catarina. 

Ainda conforme o delegado Dirceu Silveira, a morte da vítima ocorreu por estrangulamento e o caso não é tratado como feminicídio, porque não foi constatado nenhum vínculo afetivo entre os dois. "Ainda não sabemos a motivação, o que constatamos é que ele é usuário de drogas e fazia uso de entorpecentes no apartamento onde vivia e onde matou a vítima". 

O homem segue preso em Minas Gerais e ainda não há previsão de transferência para Santa Catarina. 

Leia mais:

'Você está me traindo', diz homem antes de assassinar ex-companheira e se matar perto da filha
Homem atira na ex e enteados, incendeia casa e se mata na Pampulha
Mãe e filho que estavam desaparecidos são encontrados mortos e abraçados na Grande BH