Foi detido na noite dessa quinta-feira (21), C.N.S., 31 anos, conhecido como Betinho, suspeito de matar o sargento Fábio Tadeu da Cunha, um dos responsáveis pela escolta ex-governador Alberto Pinto Coelho. O homem foi preso na região Central de Belo Horizonte e foi encaminhado para a Central de Flagrantes (Ceflan 2).

No entanto, o suspeito já teria sido apresentado pela Polícia Civil (PC) em setembro de 2015, pelo mesmo crime. De acordo com a Polícia Civil (PC), o inquérito foi concluído e, em seguida o delegado Júlio Zica, responsável pelo caso na época, encaminhou para a Justiça de Minas um pedido de prisão preventiva, já que a prisão do suspeito era temporária. Por não ter sido expedida antes de findar o prazo da prisão temporária, Betinho foi liberado. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) foram procurados pelo Hoje em Dia, mas ainda não se manifestou.

Roberto Carlos Nunes de Souza esteve detido em 2015, entre os dias 24 de agosto e 22 de setembro, no Presídio São Joaquim de Bicas I. De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS), ele foi liberado mediante Alvará de soltura concedido pela Justiça.

Durante uma tentativa de assalto, ocorrida em julho de 2015, no bairro Gutierrez, região Oeste de Belo Horizonte, o militar foi baleado por dois bandidos. Ele monobrava o carro oficial quando foi alvejado. O sargento foi socorrido para o Hospital João XXIII, mas veio a falecer um mês depois. Os suspeitos foram detidos em agosto e apresentados à imprensa ainda em setembro.

Conforme a polícia, a dupla, identificada como Tuzinho e Betinho, confessou o crime. Além disso, as investigações apontaram que, no dia do crime, o PM não estava fardado.

“Depois do conflito com o policial militar, os suspeitos ainda roubaram um veículo nas imediações e fugiram. A intenção da dupla era roubar o carro em que a vítima estava e, posteriormente, realizar outro assalto, no bairro Buritis”, explicou na época o delegado Júlio Zica.

O crime foi flagrado por câmeras de segurança instaladas nas imediações, o que levou a Polícia Civil a identificar, no dia 11 de agosto, um dos homens.

O suspeito já tinha sido preso anteriomente por outro roubo à mão armada, ocorrido no bairro Dom Bosco, na região Noroeste da capital. “No dia de sua prisão, o suspeito foi interrogado e confessou sua participação no homicídio. Nós conseguimos comprovar os fatos, por meio de levantamentos e cruzamentos de dados”, destacou o delegado.

Ao prestar depoimento, o homem informou o apelido do comparsa, o que possibilitou que, no dia 22 de agosto, após diligências nas imediações do bairro Gameleira, na região Oeste de BH, o segundo suspeito fosse preso. Ao ser ouvido pelos policiais, Betinho assumiu a participação no crime, confessando, inclusive, ser o autor do disparo que vitimou o sargento.