Três técnicas de enfermagem de São José da Lapa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram presas nessa sexta-feira (18), suspeitas de vacinar o marido de uma delas e dois amigos contra a Covid-19. Os imunizados não estariam no grupo prioritário da campanha e confirmaram a aplicação.

As suspeitas informaram à Polícia Militar (PM) que saíram para fazer a vacinação de pessoas acamadas e que, durante o trajeto, encontraram o marido de uma delas e amigos, e aplicaram a dose em ambos. A imunização foi feitaem via pública e registrada por vídeos, que foram encaminhados ao secretário de Saúde da cidade.

Segundo a polícia, ao receber as imagens, o representante da pasta solicitou que coordenadoras de Vigilância em Saúde e de Atenção Básica convocassem as três mulheres para uma reunião na prefeitura. Durante o encontro, uma delas confessou a imunização e disse que foram utilizadas doses da AstraZeneca. 

Ainda de acordo com a PM, as superiores pediram o relatório de comorbidade dos vacinados, assim como a lista de imunizados, mas os documentos não foram entregues. Aos militares, as três pessoas que receberam o imunizante informaram que as técnicas de enfermagem ofereceram a vacinação porque algumas doses seriam descartadas. As suspeitas foram encaminhadas para a Delegacia de Plantão de Vespasiano, ouvidas e liberadas.

Em mensagem publicada nas redes sociais neste sábado (19), o prefeito de São José da Lapa, Diego Álvaro (Avante), disse que a cidade não tolera “nenhum servidor que faça o tratamento irregular das vacinas”, e que punições administrativas serão aplicadas. “Tenho certeza que a Justiça dará a devida punição a todos esses que estão furando a fila e cometendo um crime”, concluiu.

Leia mais:
Decreto oficializa ampliação das aulas presenciais em BH; veja regras
BH não vacina contra a Covid neste sábado; imunização recomeça na segunda para grupos já convocados
Boletim epidemiológico mostra aumento de casos e óbitos por Covid no Brasil