Técnicos da aeronáutica encontram caixa-preta de bimotor que caiu em BH

Cristina Barroca e Ricardo Rodrigues - Hoje em Dia
08/06/2015 às 12:51.
Atualizado em 17/11/2021 às 00:23
 (Flávio Tavares)

(Flávio Tavares)

Foi encontrada na manhã desta segunda-feira (8), a caixa-preta do bimotor King Air que caiu na tarde de domingo (7), no bairro Minaslândia, na região Norte de Belo Horizonte, após decolar no Aeroporto da Pampulha. Três pessoas morreram no acidente.

O objeto de registro de voz foi removido e será enviado para Brasília. Não foi possível confirmar se o sistema estava funcionando e se foi feito algum registro dos momentos que antecederam o acidente até a queda da aeronave, mas a CVR será analisado.

Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) - braço da Força Aérea Brasileira (FAB) - foi enviada do Rio de Janeiro para organizar a ação inicial. Além de objetos da aeronave que possam auxiliar nas investigações, os profissionais recolhem dados, levantam telefonemas e depoimentos de vizinhos e pessoas que teriam visto o acidente.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a documentação da aeronave está em dia e que não há nenhuma pendência ou irregularidade com relação a validade e vistoria do bimotor.

Conforme o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), o avião pertence a empresa Atlântica Exportação e Importação Ltda.

Famílias aguardam a liberação dos corpos

As famílias do piloto Emerson Thomazini, de Carlos Eduardo Abreu, copiloto, e Gustavo de Toledo Guimarães, que viajava de carona, ainda aguarda a conclusão do trabalho da perícia para liberação dos corpos.

De acordo com a Polícia Civil, os três deram entrada no Instituto Médico-Legal (IML) como desconhecidos e não foram identificados ainda. Eles vão passar por uma análise para saber se a situação dos corpos permite que as vítimas sejam identificadas apenas por necrópsia ou se será necessário exame de DNA.

Moradores

Uma moradora da casa ao lado da residência atingida relatou com horror o momento do acidente. "Estava em casa com meu filho quando ouvi um barulho muito forte. Saí e vi o avião rodopiando no ar e caindo. Peguei meu filho e saí correndo de casa", contou a dona de casa Rosângela de Rocha Diniz.

De acordo com a dona de casa, os moradores da residência atingida são um casal, José Monfort e sua esposa Maria Geralda. Segundo a PM, apenas o homem estava em casa no momento da queda da aeronave. Entretanto, moradores alegam ter visto uma mulher sendo socorrida no local.

Segundo relatos de motoristas e moradores, o avião caiu logo após decolar da Pampulha, por volta de 15h20. "A queda aconteceu em cerca de três minutos. Vi o avião subindo, ele começou a inclinar para a esquerda, virou o bico para baixo e fez algumas manobras com as asas para um lado e para o outro. Então parece que o piloto tentou arremeter quando já estava com o bico para baixo, mas não conseguiu", disse o infografista Nelson Flores, que estava no semáforo do cruzamento da rua Waldomiro Lobo com a avenida Cristiano Machado quando viu o acidente.

O local da queda fica próximo à estação de metrô Primeiro de Maio e ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

 

 

 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por