Belo Horizonte ganhou nesta terça-feira (4) um "túnel de desinfecção" para reforçar a prevenção à Covid-19 no transporte público. A partir de agora, todos os passageiros que embarcarem ou desembarcarem na Estação Pampulha poderão passar pela cabine para receber um jato com uma substância que ajuda a eliminar o coronavírus. Evitar a disseminação da doença nos ônibus é um dos principais desafios das autoridades de saúde, e a ideia é buscar parcerias para instalar o equipamento em mais 20 locais da capital.

A estrutura complementa as ações desenvolvidas pela prefeitura para evitar a circulação do novo coronavírus nos coletivos. "É um equipamento que a gente acredita que vai trazer mais confiabilidade", diz o diretor de Transporte Público da BHTrans, Daniel Marx Couto.

Nas próximas semanas, a expectativa é a de que mais 20 plataformas de embarque e desembarque recebam o "box neutralizador", como o equipamento também é conhecido. Segundo o presidente da Transfácil, Ralison Guimarães, todas as estações do Move, do BHBus e alguns pontos da área central devem contar com a estrutura.

"São os locais com maior número de usuários. Mas a expansão vai depender das parcerias que firmarmos", explicou. Por isso, ainda não há uma data definida para ampliação do serviço.

Como funciona

O túnel na Estação Pampulha vai funcionar 24 horas, todos os dias da semana e sem limite de usuários. O equipamento tem um sensor que é ativado pela presença da pessoa, lançando nela uma mistura, em vapor, de água com ozônio. "O efeito é antivírus, bactericida e antifungo. Vai aumentar a segurança no transporte público", avaliou Guimarães.

O presidente da Transfácil garantiu, ainda, que o jato borrifado nos passageiros é livre de produtos químicos. "Não faz mal à saúde", declarou. O uso será facultativo, ou seja, só passará pelo túnel quem quiser.

Quem "testou" a cabine foi Jurandir Ferreira, de 68 anos. Depois de receber o jato, o aposentado era só satisfação. "A ideia é boa. Agora fico mais tranquilo para enfrentar o transporte público. Está aprovado", disse, sorridente.

Parceria

A novidade é possível graças a uma parceria entre a Transfácil, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), a BHTrans e a prefeitura. A estrutura foi desenvolvida pelo Senai.

Atualmente, o transporte público é uma das principais preocupações dos médicos no enfrentamento à pandemia. O fluxo de pessoas pode favorecer a transmissão da doença.Desde março, as empresas de ônibus têm que seguir uma série de regras para proteger a população: disponibilização de álcool em gel, exigência do uso de máscara e limite de passageiros estão dentre as medidas.

Leia mais:

Estação de ônibus na Pampulha vai ganhar cabine de desinfecção para barrar o novo coronavírus