Integrantes do Movimento Tarifa Zero ocupam três faixas da avenida Afonso Pena, no Centro de Belo Horizonte, na noite desta quinta-feira (10), em protesto contra o reajuste de 11% nas tarifas de ônibus do transporte coletivo da capital. Segundo a BHTrans, eles estão na porta da prefeitura.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal acompanham o protesto e o trânsito é feito em uma pista no sentido Mangabeiras. Do outro lado da avenida, no sentido rodoviária, o tráfego de veículos é normal.

No início da noite desta quinta-feira (10), eles se concentraram na Praça Sete.

Segundo os organizadores, a manifestação reúne cerca de 400 pesoas e é contra o reajuste que o coletivo considera um crime contra a população, especialmente os mais pobres e os que moram mais longe. Eles também fazem críticas ao prefeito Alexandre Kalil (PHS) e às empresas dos coletivos. “Estão fazendo barganha com a lei os direitos da população, já que os ‘benefícios’ anunciados não passam de condições mínimas asseguradas pela lei. Ter trocador em todos ônibus não é favor, é a lei 10.526! Renovar a frota não é favor, é cumprir o contrato”, dizem.

A BHTrans informou que todo o processo, os resultados e mais de 104 mil documentos da auditoria e verificação independente nas contas dos ônibus de Belo Horizonte estão disponíveis no site da Prefeitura para consulta de qualquer cidadão.

 

Leia mais:
Tarifa Zero protesta em Belo Horizonte contra valor de R$ 4,50 em passagem de ônibus
Passagem de ônibus de BH volta R$ 4,50 nesta quinta-feira
MP instaura inquérito para apurar reajuste de 11% na passagem de ônibus em BH