O número médio de transmissão por infectado (RT), que mede a circulação do coronavírus em Belo Horizonte, está em 0,95, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta quinta-feira (8). O índice caiu de 0,99 para 0,95 em quatro dias. O novo dado aponta que a cada grupo de cem pessoas contaminadas, outras 95 são infectadas.

Esse é o menor número desde 17 de março - quando o governo de Minas decretou medidas mais restritivas impostas pela Onda Roxa, do programa Minas Consciente - e a taxa estava em 1,26.

Mas a preocupação ainda pesa sobre a ocupação de leitos de terapia intensiva e enfermarias, que continua em nível máximo de alerta, em vermelho. A taxa de leitos de UTI exclusivos para tratamento de Covid-19 na capital está em 93,1% somando os dos hospitais públicos e privados. Já a de enfermaria, 75,3%.

Boletim

Digite aqui a legenda

Segundo o boletim, 153.644 casos já foram confirmados, com 3.534 moradores que perderam a batalha para o novo coronavírus. Existem 7.805 pacientes ainda em acompanhamento médico.

O levantamento traz ainda o índice de isolamento social na cidade, que caiu de 50,7% em 2 de abril para 46,1% no dia 6 do mesmo mês.  No domingo (4), o índice chegou a 54,9%.

Vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde informou que vai conseguir ampliar a vacinação para pessoas acima de 64 anos a partir desta sexta-feira (9). O boletim confirma que ainda há doses disponíveis no estoque.

Segundo o levantamento, 721.970 imunizantes contra a Covid-19 foram destinados a Belo Horizonte até o momento. Destes, 612.944 foram distribuídos aos postos de imunização e 497.661 foram aplicadas, sendo 379.167 em primeira dose e 118.494 na segunda.

Leia Mais:
BH ganha mais leitos de UTI e de enfermaria, mas ocupação continua em alerta vermelho
Para Zema, governo federal 'menosprezou' vírus e deixou de entregar 'algo a mais' na gestão; assista
Câmara de BH aprova projeto de lei que coloca academias como atividades essenciais