Uma audiência pública é realizada na manhã desta sexta-feira (28) para tratar a respeito do Uber. Realizada no Espaço José Aparecido de Oliveira, conhecido como Hall das Bandeiras, a reunião conta com um público de cerca de mil pessoas, a maioria taxistas.Antes da audiência eles chegarama a realizar um protesto contra o Uber no local.

De acordo com o diretor-presidente do Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir), Ricardo Faedda, 85 dos motoristas do Uber eram motoristas particulares.

O representante do aplicativo, Fábio Sabba, também está na reunião. Para ele, a audiência será importante para esclarecer o modo de atuação do sistema. Ele ressalta ainda que o Uber é um serviço remunerado de transporte de pessoas e não faz abordagem de passageiros na rua como o táxi que precisa de concessão.

Assim como na audiência pública realizada na Câmara Municipal há algumas semanas, os taxistas viraram de costas para Andrea Leal, outra representante do Uber. Por várias vezes beles interrompem a reunião por vaias e barulhos.

Assinam o requerimento para realização da audiência os deputados Celinho do Sinttrocel (PCdoB), Noraldino Júnior (PSC), João Vítor Xavier (PSDB), Iran Barbosa (PMDB), Roberto Andrade (PTN) e Fred Costa (PEN). Este último é autor do Projeto de Lei (PL) 2.676/15, que proíbe o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos como o Uber para o transporte remunerado individual de passageiros.
 
O PL proíbe também a associação entre empresas administradoras desses aplicativos e empresas comerciais para transporte remunerado de passageiros em veículos que não atendam as exigências da Lei 15.775, de 2005, que regulamenta o serviço de táxi metropolitano.
 
Taxistas lotam audiência que discute Uber na Assembleia