A partir de agora denúncias contra corrupção e lavagem de dinheiro podem ser feitas também pelo Disque Denúncia, o 181. O anúncio da novidade nesta terça-feira (12) faz parte das comemorações dos 12 anos de atuação do serviço. 

O 181 estará disponível para receber denúncias relativas aos crimes cometidos contra a Administração Pública e Lei das Licitações.

Vários outros casos também podem ser relatados. Entre as informações mais comuns relatadas estão drogas, armas de fogo, crimes testemunhados e transações monetárias ilegais. Em agosto deste ano, por exemplo, um homem que vendia linha chilena e pó de vidro, utilizado na produção do cerol, foi preso após comunicado pelo 181. 

Quem faz a queixa tem o sigilo absoluto garantido e anonimato, além de estar contribuindo com o trabalho das polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e Sesp. A operação do serviço fica a cargo do governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), e do Instituto Minas pela Paz. 

O 181 Disque Denúncia não oferece resposta imediata, já que existe um prazo de 90 dias para apurar e responder a denúncia apresentada. Quando o cidadão precisar de uma resposta rápida, como em casos de flagrante, por exemplo, deve entrar em contato direto com as corporações: Polícia Militar (190), Polícia Civil (197) e Corpo de Bombeiros (193). As denúncias específicas de violência contra idosos, mulheres e pessoas com deficiência também não devem ser feitas pelo 181, mas pelo Disque Direitos Humanos (0800 031 1119). 

12 anos de Disque Denúncia

Números demonstram a importância do 181 e da participação do cidadão mineiro na construção de uma sociedade menos violenta. Em setembro de 2019, mês do último balanço, o serviço recebeu 6.720 denúncias, uma média de 271 por dia. De janeiro a setembro deste ano, a marca de chamadas ultrapassa as 336 mil e o número de denúncias geradas chegou a 55.471. As ligações são gratuitas e podem ser feitas de qualquer um dos 853 municípios mineiros.

Em 12 anos de história, o DDU recebeu 8,6 milhões de chamadas. Destas, 889 mil se transformaram em denúncias que foram apuradas pelas forças policiais, com retorno do seu desdobramento ao denunciante. Além disso, as ligações possibilitaram a retirada de circulação de mais de 23 mil armas de fogo e mais de 41 toneladas de drogas, como maconha, cocaína e crack.

As informações repassadas à central também ajudaram em mais de 217 mil prisões e apreensões de pessoas e cerca de 21 mil veículos. Além disso, o acumulado de 2008 a setembro de 2019 aponta a apreensão de mais de R$ 30 milhões em espécie, vindos do tráfico de drogas e dos jogos de azar.

Leia mais:
Disque 181 completa uma década e contabiliza 734 mil denúncias recebidas
Disque Denúncia recebe média de 45 mil relatos de tráfico de drogas por ano em Minas