Com o tema "o estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira", a redação do Enem 2020 agradou os candidatos que prestaram o exame em uma faculdade da região Noroeste de Belo Horizonte.

Para o estudante Gabriel Martins, de 17 anos, o tema escolhido foi bom, melhor que o de 2019. "Quem se preparou foi bem. Foi uma prova coerente com os assuntos que estudamos", contou.

O tema foi uma surpresa para Eduardo Oliveira, de 18 anos, que imaginou que o assunto seria a Covid-19.

Já a técnica em enfermagem Ana Carolina Pereira, de 22, disse que o tema foi bom. "Para quem é da área da saúde, é tranquilo", avaliou.

Por outro lado, a estudante Yasmin Duarte, de 17, que pretende cursar veterinária, achou que os textos motivadores da redação não foram bons. "Não tinham muita relação, falavam só o significado. Além de que, desta vez, eram só dois, invés dos três das últimas edições".

A promotora comercial Pâmela Lorrayne, de 24 anos, ficou feliz com a escolha do assunto. Para ela, o tema está muito presente na sociedade atual e precisa ser destacado. "Já passei por esse tipo de situação, então para mim foi mais tranquilo", revelou. 

Muitas abstenções

Em meio à pandemia da Covid-19, muitos estudantes preferiram não fazer o teste neste domingo. Segundo candidatos ouvidos pela reportagem, as salas estavam bem mais vazias que nos anos anteriores. "Na minha sala deve ter faltado cerca de 10 pessoas. Muita gente", revelou Ana Carolina.

O mesmo se repetiu com Samuel Oliveira, de 17 anos. "Pelo menos dez pessoas da minha sala deixaram de ir", afirmou.

Medidas de prevenção

Se a redação foi unanimidade, as medidas de prevenção contra a Covid-19 durante a aplicação do exame foi diferente entre as salas.

Segundo Gustavo Luis de Moura, de 17 anos, que fez o teste como treineiro, não havia distanciamento entre os concorrentes. "Não estava tendo distanciamento entre as mesas, podia sentar do lado e na frente das pessoas. Não estavam separando", afirmou.

Por outro lado, Gabriel afirmou que, em seu local de prova, determinações foram cumpridas. "Estão deixando uma cadeira de distância para cada aluno, mas as salas não estão cheias. Muitas pessoas faltaram".

Outros participantes também revelaram ao Hoje em Dia que tiveram a impressão de que muitos estudantes deixaram de fazer a prova e que poderia haver o risco de contágio caso todos tivessem comparecido.