Temporal que assolou a Bahia pode chegar a BH na virada do ano, aponta Inmet

Marina Proton
mproton@hojeemdia.com.br
29/12/2021 às 10:06.
Atualizado em 04/01/2022 às 00:15
 (Manu Dias/ GOVBA / Divulgação)

(Manu Dias/ GOVBA / Divulgação)

O temporal que assolou a https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/bahia-confirma-mais-uma-morte-por-causa-das-chuvas-total-chega-a-21-1.869737, com registros de alagamentos, mortes e desabrigados, pode chegar a mais regiões Minas Gerais nos últimos dias de dezembro e início de 2022. Isso porque o mesmo fenômeno responsável pelas precipitações no local, a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), está se aproximando do Estado. A informação é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 

Belo Horizonte e a região metropolitana também devem ser afetadas. Conforme o meteorologista Claudemir de Azevedo, a chuva na Grande BH deve chegar forte já na tarde desta quarta (29), seguindo até ao menos o dia 5 de janeiro. 

“Nesse período, a precipitação pode ser de moderada a forte. Hoje, o fenômeno que atuou na Bahia ainda não está configurado, mas provavelmente teremos mais episódios. Porém mais ao Centro, Zona da Mata e Triângulo de Minas, além da Grande BH. Por isso temos a perspectiva de chuva”, disse, informando, ainda, que na Bahia e na região Norte do Estado, três episódios do fenônemo foram configurados em dezembro. 

O cenário também foi considerado por meio de um alerta emitido por uma empresa de meteorologia, a MetSul. O comunicado indica chuvas extremas para durante a virada do ano. Belo Horizonte seria a capital com maior risco.

Os volumes projetados para a capital mineira e região metropolitana são altos e poderiam exceder 200 milímetros em uma semana. “O corredor de umidade responsável pelo excesso de precipitação em Tocantins e na Bahia vai estar nos próximos sete a dez dias mais ao Sul, na área que costumeiramente atua durante o verão. O estado com maior risco é Minas Gerais, entretanto áreas do Rio de Janeiro e de São Paulo também podem sofrer com precipitação excessiva”, informa o comunicado. 

As projeções são feitas para os próximos 15 dias, com a virada do ano, entre 31 de dezembro e 1º janeiro, registrando aumento substancial com volumes altos concentrados no território mineiro. “Algumas localidades podem registrar de 200 mm a 300 mm em sete dias”. 

O cenário de chuva, por muitas vezes intensa e um curto período, pode ser capaz de gerar inundações repentinas e deslizamentos de terra. O MetSul ainda alerta que a previsão, que também antecipou os eventos de tempestades extremas na Bahia, é ainda mais preocupante para a região de Minas.

“Rios podem enfrentar cheias e transbordamentos em algumas regiões do Estado e não são descartadas situações de enchentes localizadas por extravasamento de rios. Outra grande preocupação é com escorregamento de encostas, já que Minas, e o Rio de Janeiro, são áreas com muitas cidades em regiões serranas e de alto risco quando se dão eventos de chuva volumosa ou excessiva, como se antecipa para os próximos dez a quinze dias”, conclui o aviso. 

Estragos

Por aqui, a chuva já castiga cidades do Norte do Estado. https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/zema-vai-ao-norte-de-minas-acompanhar-trabalhos-em-estragos-causados-pelas-chuvas-1.869759foi um dos municípios mais atingidos pelos temporais na região. Rios como Bananal, Ribeirão e o que leva o nome do município, ficaram acima do nível normal de água e transbordaram nessa terça (28).

Em BH e na região metropolitana, as fortes precipitações também causaram estragos. Em Ibirité, imóveis foram inundados e moradores ficaram ilhados depois que um córrego transbordou. 

Chuva segue nos próximos dias

E o temporal não deve dar trégua para os mineiros. Em Belo Horizonte, um alerta emitido pela Defesa Civil prevê uma precipitação de 30 a 50 mm, acompanhada de raios e rajadas de vento em torno de 50km/h, entre esta quarta (29) e às 8h de quinta (30). 

Em outros 108 municípios, localizados nas regiões Norte, Vale do Jequitinhonha e Mucuri, há previsão de chuva de até 60 milímetros por hora ou 100 milímetros por dia, com ventos intensos de até 100 km/h. 

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há risco de corte de energia, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas. 

Veja https://alertas2.inmet.gov.br/37203 a lista dos municípios e recomendações do https://alertas2.inmet.gov.br/37203 e Defesa Civil.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por