Uma das duas pessoas mortas no acidente aéreo envolvendo um avião de pequeno porte na tarde deste sábado (30), em Guapé, no Sul de Minas, é o tenente-coronel-aviador da Força Aérea Brasileira (FAB) Anderson Jean Oliveira Silva. O homem, de 43 anos, estava na aeronave de modelo experimental com uma outra vítima, de 58 anos. As mortes foram constatadas por médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que chegaram no local pouco tempo após o ocorrido. 

Conforme o Corpo de Bombeiros do Sul do Estado, a informação da queda do avião chegou à corporação por meio de uma ligação ao 193. Em seguida, os militares decidiram por empenhar o helicóptero Arcanjo-2. No local, os bombeiros encontraram a aeronave em um barranco e conseguiram retirar as vítimas, presas às ferragens, sem uso de ferramentas hidráulicas.

Apesar de um boato citar que o piloto fazia acrobacias com o avião em um encontro de aviadores marcado para este sábado, a corporação alegou que nenhuma testemunha teria confirmado essa informação. As pessoas presentes disseram que o avião alçou voo para fazer um abastecimento de combustível. Outros duas pessoas procuraram os bombeiros para relatar que teria sido feito um Notam – documento que contém informações para a segurança do trânsito aéreo – a respeito do aumento do fluxo de aeronaves.

Em nota, a Força Aérea Brasileira (FAB) informou que o Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA III) está investigando o que poderia ter ocorrido para o acidente. A FAB ainda demonstrou pesar com a morte do tenente-coronel, do efetivo do Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), e esclareceu que ele não estava em missão oficial da Aeronáutica. "O Comando da Aeronáutica lamenta o ocorrido e, por meio do CINDACTA I, está prestando todo o apoio necessário aos familiares do militar", informou.

Leia mais:
Avião cai em Guapé, no Sul de Minas, e deixa duas pessoas mortas