Passados três dias desde a tempestade que causou diversos estragos ao longo da avenida Teresa Cristina no último domingo (19), a via ainda tem um ponto de interdição em Belo Horizonte, segundo a BHTrans. O bloqueio ocorre próximo ao Anel Rodoviário no sentido Centro, altura do bairro São Paulo, quase chegando em Contagem. 

No entanto, o outro sentido ainda tem cones de sinalização para que os motoristas trafeguem devagar, já que ainda há muita terra no local, o que pode causar acidentes.  

As linhas de ônibus que haviam sido desviadas do local, continuam fazendo trajetos alternativos. São elas a 30 (direta) e a 3029 (sentido Centro), que mantém o desvio pela Via do Minério e Anel Rodoviário e, as mesmas linhas, mas no sentido bairro, que estão sendo desviadas pela Amazonas, Anel Rodoviário e Via do Minério. 

A linha 2035 (sentido Centro) também mantém o desvio pelas rua Senador Lúcio Bitencourt, Padre Flávio, Luminosa, avenidas Presidente Castelo Branco, Cardeal Eugênio Pacelli, Anel Rodoviário, Via do Minério, ruas Úrsula Paulino, Campo Formoso, Lagoa da Prata,Desembargador Barcelos, Olinda e avenida Amazonas. 

Limpeza

Equipes da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) de Belo Horizonte continuam os trabalhos de limpeza na avenida Teresa Cristina nesta quarta-feira (22) e não há previsão para acabar. Até essa terça-feira (21), 364 toneladas de resíduos já haviam sido recolhidos na via. 

Por meio de nota, a Superintendência detalhou os trabalhos:

"​A limpeza começou no dia 19, à noite, com 42 garis percorrendo todos os trechos da avenida e os acessos laterais e removendo cerca de quatro toneladas de resíduos, como móveis, peças de automóveis e pneus que ficaram espalhados na via. O objetivo desta limpeza inicial foi evitar acidentes de trânsito e restabelecer parte da mobilidade em áreas menos afetadas.

Na segunda-feira, dia 20, a partir das 7h30, a limpeza recomeçou com 186 pessoas. Foram retiradas cerca de 150 toneladas de resíduos, constituído em sua maioria por capim, barro e materiais perdidos pelos moradores, como restos de móveis. Foram gastos ainda 68 mil litros de água para retirar o barro. As equipes permaneceram em campo até ás 22h, em uma jornada de 15 horas de atuação.

Na terça-feira, dia 21, os trabalhos foram retomados a partir das 7h30 e contou com cerca de 160 pessoas, que removeram aproximadamente 210 toneladas de resíduos (lama, brita, terra e pneus, além de muitos móveis e galhos). Foram gastos 50 mil litros de água durante a limpeza.

Nesta quarta-feira, dia 22, os trabalhos já foram retomados com 175 pessoas, e devem se estender até as 22h.

Não há uma previsão para os términos dos trabalhos. As equipes da SLU permanecerão na avenida pelo tempo que for necessário".

Leia mais:

Desde outubro, avenida Teresa Cristina foi bloqueada oito vezes
Depois da tempestade, prefeitura recolhe 146 toneladas de lixo na Teresa Cristina