Criticada pelos usuários, a falta de conforto nos ônibus é rebatida pela BHTrans com a nova especificação dos coletivos, que promete equipar todos os carros com ar-condicionado e suspensão a ar até 2027, podendo ocorrer até dois anos antes.

“Atualmente, 42% dos ônibus têm ar. Pelo decreto 16.568, de 2017, ficou determinada a atualização dos coletivos novos. Como a vida útil de um carro é de dez anos, estima-se que até 2027 todos estejam atualizados. Mas a velocidade de renovação tem se mostrado maior do que essa. Assim, dois anos antes todos já deverão estar com ar”, explica o superintendente de Transporte Público da BHTrans, Sérgio Carvalho. Outro ponto a favor do sistema seria a pontualidade de horário do serviço, 97,5% atualmente.

AUTUAÇÕES

Além das ações, a empresa investe na fiscalização do cumprimento da legislação do setor. Segundo a BHTrans, só em 2019, foram aplicadas 9 mil autuações contra empresas que descumpriram a lei municipal que exige a presença do cobrador. Pela legislação, só é permitida a ausência do profissional em horário noturno, domingos e feriados.

Para o Setra, um sistema que realizou, em outubro do ano passado, 700 mil viagens no mês, percorrendo 13,4 milhões de quilômetros, transportando 31,4 milhões de passageiros e cumprindo 99,84% das viagens, não pode ser considerado ineficiente.

“Claro que ocorrem situações imprevistas em que o veículo precisa ser recolhido e substituído, entre outras ocorrências, mas para esses e outros casos, o SetraBH disponibiliza para os passageiros o SAC”, afirmou o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), Joel Paschoalin. 

Sugestões, reclamações e elogios ou denúncias, devem ser feitas pelo telefone (31) 3248-7300, ou pelo site: www.transfacil.com.br. O passageiro precisa informar o número da linha e do ônibus, horário e local da ocorrência.

Leia mais:
Usuários de ônibus de BH deixam de fazer 85 milhões de viagens, e tarifa tende a subir
Retirada de cobradores dos coletivos de BH 'economiza' R$ 210 milhões em um ano
Ônibus elétricos, menos poluentes, vão ser testados na capital em breve