Os comerciantes do bairro Jardim Teresópolis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, tiveram que fechar as portas de seus estabelecimentos nesta terça-feira (24). O “toque de recolher” teria sido dado por bandidos em represália à morte do sobrinho de um traficante. Moradores da região também ficaram com medo e se mantiveram dentro de casa. 
 
Após receber uma denúncia anônima, os militares do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas foram para o local. Até a publicação desta reportagem, quatro pessoas haviam sido presas, além de serem apreendidos dois revólveres calibre .38, uma submetralhadora 9 milímetros que foi roubada da Polícia Militar (PM), munição de diversos calibres e 5 quilos de explosivos. Com os suspeitos, a PM encontrou ainda grande quantidade de maconha, cocaína e crack.
 
De acordo com o major José Sérgio Felício, os explosivos devem ter sido adquiridos para explodir caixas eletrônicos. “Com esse material, dava para levantar o Mineirão”, enfatizou ao explicar que a quantidade de dinamites apreendida é bastante elevada.
 
O major afirmou ainda que o toque de recolher foi dado apenas para a parte de baixo do bairro, que é dominada por uma quadrilha especializada em tráfico de drogas. Desde esta manhã, os militares estão no local e não existe previsão para a hora que vão sair. “O corpo do rapaz que faleceu ainda não foi liberado pelo Instituto Médico-Legal, então, o velório deve ocorrer apenas amanhã. Somente após o enterro, deveremos encerrar a operação”, disse.
 
O rapaz em questão era sobrinho do chefe de uma quadrilha de tráfico, conhecido como Rodrigão, que encontra-se preso. O jovem tinha 17 anos e teria sido assassinado por uma gangue rival, nessa segunda-feira (23). Conforme Felício, o menor tinha passagens pela polícia por porte ilegal de arma de fogo.
 
O quarteto preso na operação ainda não foi identificado. Conforme o major, todos estavam em atitude suspeita quando foram abordados pela PM e teriam participado do “toque de recolher”. 
 
Atualizada às 20h12.