Enquanto as alterações do novo Minas Consciente não entram em vigor, o que ocorrerá na próxima quinta-feira (6), o governo de Minas informou, nesta quinta (30), que as macrorregiões de saúde Triângulo do Norte, Oeste e Centro-Sul avançaram ondas no programa estadual de orientação aos municípios para a retomada segura das atividades econômicas, e poderão abrir mais estabelecimentos a partir deste sábado (1). Já o agrupamento Noroeste retrocedeu.

As ondas são níveis hierárquicos que orientam quais atividades podem funcionar e são baseadas nos dados epidemiológicos de determinada localidade. São elas: onda verde (apenas serviços essenciais podem funcionar); onda branca (apenas serviços de baixo risco podem funcionar); onda amarela (apenas serviços de médio risco podem funcionar); e onda vermelha (apenas serviços de alto risco podem funcionar).

Com as deliberações do Comitê Extraordinário da Covid-19, as cidades pertencentes às macrorregiões Triângulo Norte e Oeste avançarão para a onda branca. Nesse nível, além dos comércios essenciais, podem abrir estabelecimentos de baixo risco, como autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas. 

O avanço da macrorregião Centro-Sul será para a onda amarela, o que permite mais comércios em funcionamento: além dos serviços essenciais e daqueles previstos na onda branca, também podem abrir papelarias e salões de beleza, por exemplo.

Minas Consciente

Programa foi lançado em abril e passou por reformulação que entrará em vigor na próxima quinta-feira (6)

Já a macrorregião Noroeste regrediu para a onda verde, em que apenas serviços essenciais podem funcionar. De acordo com o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, o avanço ou retrocesso de ondas é sempre baseado nos dados epidemiológicos de uma macrorregião.

O gestor informou que esta é a última semana de funcionamento do Minas Consciente no formato atual. A partir da próxima quinta, diversas mudanças passarão a definir a abertura de estabelecimentos. Uma delas é a permissão para que cidades com até 30 mil habitantes e pandemia sob controle possam liberar a retomada de parte do comércio em Minas.

Balanço do Minas Consciente

De acordo com Passalio, 316 municípios mineiros já aderiram ao programa Minas Consciente, o que representa 37,5% do total e abrange 7.150.000 mil habitantes. 

O gestor apresentou ainda um balanço de como cada uma das 14 macrorregiões de saúde do Estado está posicionada no Minas Consciente na atualidade. Veja:

  • Onda verde: Centro, Jequitinhonha, Leste, Nordeste, Noroeste e Vale do Aço;
  • Branca: Oeste, Sudeste, Triângulo do Norte e Triângulo do Sul;
  • Amarela: Centro-Sul, Leste do Sul, Norte e Sul;
  • Vermelha: nenhuma.

Minas Consciente

O Minas Consciente utiliza os dados epidemiológicos de combate à Covid-19 para determinar quais estabelecimentos podem funcionar em cada uma das macrorregiões de saúde do Estado. A adesão dos municípios ao programa é espontânea. 

No entanto, no início do mês, uma liminar da Justiça mineira, a pedido do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), determinou que as prefeituras que não aderiram ao plano cumpram normas de distanciamento social. Duas semanas depois, a Justiça reafirmou que as cidades mineiras não podem flexibilizar comércio sem autorização do Estado.