A Polícia Civil investiga um caso de estelionato envolvendo uma falsa compra de vagas no curso de medicina na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O caso foi descoberto depois que o pai de uma estudante aliciada denunciou o crime na administração da instituição, que acionou a Polícia Militar. Pelo menos três pessoas foram presas nessa segunda-feira (21).

Segundo a corporação, o pai da aluna aliciada contou aos militares que um homem se apresentou como professor da instituição e disse que cobrava R$ 13 mil por uma transferência. A vítima mostrou o suspeito aos militares. O homem disse que não era professor e que estava no local a mando de um médico do Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com boletim de ocorrência, uma mulher, que também foi detida, era a responsável por identificar possíveis vítimas e coordenar o suposto esquema de transferência. Com um terceiro suspeito, que foi preso do lado de fora da universidade, a PM apreendeu R$ 13,8 mil, que teria sido pago por um aluno de Ribeirão Preto (SP), que pretendia estudar na instituição.

Em um carro, utilizado pelos suspeitos, a polícia apreendeu vários documentos, dois notebooks, celulares, dinheiro, cheques e formulários que pertencem à universidade.

Em nota, a PUC-Minas informou que nenhum dos suspeitos tem qualquer tipo de ligação com a universidade. A instituição de ensino salientou ainda que tem colaborado com a polícia e acrescentou que não há registro de nenhum caso semelhante dentro da universidade.

Agora, a Polícia Civil investiga se há mais vítimas deste golpe e se há outras pessoas envolvidas no esquema criminoso.