Três universidades mineiras vão receber recursos do Ministério da Educação (MEC) por terem mantido as aulas de maneira remota. A pasta anunciou que, até o fim de julho, irá liberar R$ 10 milhões para dez instituições que mantiveram as aulas utilizando recursos tecnológicos – entre elas, as universidades federais de Lavras (Ufla), Alfenas (Unifal) e Itajubá (Unifei). A cota de cada instituição não foi divulgada. 

De acordo com o MEC, os recursos são uma forma de apoio à continuidade de trabalhos por meio de alternativas educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais.

Nesta sexta-feira (3), o ministério anunciou que irá disponibilizar quase R$ 254 milhões para universidades e institutos federais de todo o país – recursos já previstos na Lei Orçamentária Anual de 2020. Após consultar as instituições, a pasta verificou quais eram as demandas prioritárias e determinou liberação de recursos para obras (em andamento ou paralisadas), acessibilidade, vigilância monitorada e combate a incêndio.

A maior parte dos recursos foram destinados para obras – R$ 102,5 milhões, com teto de R$ 4 milhões para cada universidade. Entre 36 projetos aprovados pelo ministério para continuidade de obras, estão as universidades de Alfenas (Unifal), Uberlândia (UFU), Lavras (Ufla), Viçosa (UFV) e Itajubá (Unifei).

De acordo com a lista divulgada pelo ministério, a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) receberão recursos para projeto de combate a incêndio. A Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), localizada em Teófilo Otoni, receberá recursos para projeto relacionado a tecnologia da informação. Já a Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) solicitou recursos para melhorias na acessibilidade.

Também foi anunciado um repasse de R$ 36,2 milhões para apoio às universidades federais que não têm hospitais universitários em cenários de prática, apoiando a formação de alunos de 5º e 6º anos dos cursos de Medicina. O MEC informou que 30 universidades federais possuem cursos de medicina, mas não hospitais universitários, porém a pasta não forneceu a lista com as instituições.

Leia mais:
Renato Feder deve ser anunciado nesta sexta para o Ministério da Educação