Que a mulherada deseja chegar à estação mais sedutora do ano esbanjando beleza, principalmente na praia, todo mundo sabe. Mas se arriscar em procedimentos estéticos às vésperas da viagem pode ser perigoso. Conhecer quando se submeter a tratamentos é essencial para evitar problemas. Algumas intervenções, inclusive, devem ser feitas com mais de um mês de antecedência.

É o caso do peeling químico. Indicado para tratar manchas e rugas, usa ácidos para promover a esfoliação profunda da pele. Especialista em fisioterapia dermatofuncional, Tatiana Ribeiro, da Clínica Ben Vivere Estética Avançada, afirma que o verão não é a época ideal para recorrer ao procedimento. 

“Caso a pessoa tenha contato com o sol, acontece o que chamamos de ‘efeito rebote’. A mancha que ela tratou pode voltar, e pior ainda”, alerta. Para reparar o dano, só com muito trabalho, tempo e paciência. “O número de sessões será muito maior, e o procedimento, bem mais demorado”. 

Além disso, a pessoa bronzeada, que acabou de voltar da praia, não pode fazer o peeling. “Produto químico em contato com a pele bronzeada pode estimular ainda mais a produção de melanina e acarretar mais machas”, completa a esteticista Jaqueline Ruas, da Vera de Oliveira Coiffure.

Roxões

Tratamentos que podem deixar edemas na pele também devem ser feitos com antecedência. Queridinha das mulheres, a criolipólise é um deles. Por meio de resfriamento, o processo destrói a célula de gordura corporal, explica Tatiana Ribeiro. 

“Incha e pode ficar algum hematoma. É preciso fazer pelo menos 40 dias antes da viagem”.

A carboxiterapia também inspira cuidados, pois as agulhas usadas podem atingir vasinhos do corpo. “E aí a pessoa não poderá tomar sol porque há risco de manchas. O ideal é fazer o procedimento com no mínimo uma semana de antecedência, tempo necessário para a recuperação”, afirma Tatiana. 

A especialista ainda recomenda 30 dias para fazer a micropigmentação, conhecida como maquiagem definitiva. “Ela é uma tatuagem, dá uma casca. A pele fica sensível e o contato com o sol pode mudar a tonalidade do pigmento, geralmente para o verde”, alerta.

Depilação a laser também pode ser perigoso na véspera da viagem. A exposição ao sol ativa a produção de melanina e podem ocorrer queimaduras.

Alternativas

Se você decidiu fazer algum tratamento em cima da hora, não fique desesperada. “O ideal é se preparar ao longo do ano. Mas se não foi possível, há alternativa”, diz Tatiana Ribeiro.

Considerado um dos mais eficazes, o velashape associa a radiofrequência, a luz infravermelha e a vacuoterapia para reduzir a celulite e a gordura localizada. E pode ser feito até um dia antes de curtir o sol.