Idosos frequentadores de bares da região central de Belo Horizonte. Estes eram os principais alvos de um trio, formado por uma mulher e dois homens, que seduzia suas vítimas para acessar as casas e, após doparem os senhores, roubarem pertences. Os suspeitos, que foram apresentados pela Polícia Civil (PC) nesta segunda-feira (10) foram presos após, em um dos crimes, cometido em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana da capital mineira, um idoso de 63 anos ter sido assassinado por eles.

Conforme a corporação, a mulher, de 44 anos, e um dos homens, de 38 anos, frequentavam os estabelecimentos se apresentando às vítimas como irmãos de criação. Após algum tempo de conversa, ela conseguia trocar telefone com os idosos ou até mesmo ganhar a confiança e ir até a residência deles, onde os roubos aconteciam. Eles já praticavam esse tipo de crime há pelo menos dois anos. 

Entretanto, foi no dia 24 de julho de 2018, no bairro Pedra Branca, que os falsos irmãos foram até a casa do senhor de 63 anos. Eles colocaram remédios para dormir na bebida dele, porém, o suspeito de 38 anos acabou esfaqueando a vítima várias vezes. O Delegado Eduardo Hilbert, responsável pelas investigações, destacou a frieza com que agia a mulher, que é considerada a mentora dos crimes.

"Em depoimento, o homem revelou que pegou uma faca de menor porte com o intuito de matar a vítima. Mas, naquele momento, a suspeita teria dito que com aquele instrumento ele não seria capaz de realizar o crime. Ela então foi até à cozinha da casa, se armou com uma faca de açougueiro e entregou ao comparsa para que ele cometesse o crime", contou o policial.

A PC ainda investiga o motivo que teria levado os suspeitos a praticarem o latrocínio. Contudo, suspeita-se que a dupla tenha tido receio de que a vítima os identificassem e os entregassem. Da casa, os bandidos levaram um cofre com uma quantia de dinheiro ainda não definida e diversas folhas de cheque.

Prisões

A operação Zabaneira, que culminou com a prisão dos suspeitos, aconteceu na última sexta-feira (7). Na data, foram cumpridos os mandados de prisão temporária da dupla e de um terceiro envolvido, de 52 anos, que ficava responsável por transportar os bens furtados. Além disso, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, um desses na casa da mulher, em Lagoa Santa, também na Grande BH. Lá os policiais recuperaram diversos calçados, eletrodomésticos, semi-joias, notebooks, celulares e diversos outras coisas roubadas.

Até agora, além do idoso de 63 anos que foi assassinado por eles, pelo menos outras duas vítimas do trio já foram identificadas, porém, a PC acredita que outras pessoas que foram roubadas pro eles deverão surgir após a divulgação da prisão. Entre as vítimas já identificadas está um senhor de 65 anos que foi dopado juntamente com o filho, de apenas 10 anos. A suspeita colocou remédio em um refrigerante e ofereceu às vítimas, sendo que o idoso só acordou dois dias depois. 

"Observamos que a dosagem do remédio para dopar as vítimas era ministrada de forma totalmente irresponsável, o que poderia ter causado a morte do idoso ou da criança", destacou o delegado Hilbert.

Uma terceira vítima do caso, outro senhor com idade acima de 60 anos, deve ser ouvido na próxima semana. As possíveis vítimas´do trio podem procurar a 1ª Delegacia de Polícia Civil em Ribeirão das Neves, que fica na rua São Pedro, 32, no bairro São Januário.

Leia mais:
Homem suspeito de dopar e estuprar a filha de 14 anos é preso em Vespasiano
Mulher é dopada, estuprada, roubada e deixada na rodoviária em Juiz de Fora
Button e sua mulher são dopados e bandidos levam anel de R$ 1,3 milhão