A Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) começou nesta quarta-feira (4) o ensaio clínico da vacina candidata da Johnson & Johnson contra a Covid-19, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) autorizarem a retomada dos estudos no Brasil. 

Os testes estavam suspensos no mundo todo desde 12 de outubro por causa de complicações graves registradas com um voluntário nos Estados Unidos. Agora, os primeiros candidatos selecionados estão recebendo as doses do produto vacinal. 

De acordo com o professor Jorge Andrade Pinto, coordenador dos ensaios na UFMG, o evento foi exaustivamente investigado tanto por comitês de segurança independentes quanto pelas agências reguladoras, e nenhuma causa clara foi identificada, mostrando a ausência de relação com o produto vacinal em teste. 

Ainda segundo Jorge Pinto, em algum momento, todos os inscritos no pré-cadastro on-line receberão uma resposta sobre a participação no experimento, seja para esse ensaio clínico ou para testes com outros produtos vacinais e anticorpos monoclonais que visam combater o vírus Sars-CoV-2.

A Faculdade de Medicina é um dos dois centros brasileiros que atuam como colaboradores dos estudos desenvolvidos pela rede Covid-19 Prevention Network (CoVPN) para oferecer respostas à pandemia do novo coronavírus – o outro é o Instituto Nacional de Infectologia da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Com informações da UFMG.