O caso que envolve denúncias de estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) sobre supostos abusos por parte de um professor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) tem ganhado repercussão.

De acordo com o Centro Acadêmico de Ciências Sociais (CACS), após a divulgação da denúncia,  ex-universitários enviaram depoimentos relatando que o fato ocorre há mais de cinco anos.

Se considerarem necessário, os representantes do centro convocarão as mulheres para esclarecerem os fatos. O CACS informou que está recolhendo os contatos dos envolvidos e, posteriormente, as novas denúncias derão analisadas. O comportamento do doutor Francisco Coelho dos Santos seria recorrente.


Investigações

Na próxima segunda-feira (28), uma comissão iniciará os trabalhos para investigar as denúncias. O grupo foi formado nesta semana e é composto por uma professora do Departamento de Filosofia, outra de História e um funcionário da Fafich, que também é estudante de Antropologia da universidade.

Segundo o diretor da faculdade, Jorge Alexandre Neves, a equipe da sindicância foi composta de forma a garantir a imparcialidade da análise. "Eu busquei as duas professoras e o funcionário mais distantes possível do curso e que não têm relação com o investigado, para que a comissão seja insenta", garante.

Ao contrário do que havia sido divulgado anteriormente por estudantes, Jorge afirma não haver nenhum caso formal anterior registrado contra o professor, que trabalha na UFMG há 16 anos. "Não há nenhum processo contra ele. Teria ocorrido uma conversa informal pedindo o afastamento, mas não houve nada formalizado", explica.

A direção da Fafich diz que a comissão terá 30 dias para apurar o ocorrido, sendo possível a prorrogação do prazo por mais um mês.

Após a conclusão das investigações, caso fique comprovado o comportamento inadequado do funcionário, ele será punido com uma advertência. Dependendo da gravidade da situação, existe a possibilidade de Santos ser exonerado do cargo.


As denúncias

UFMG abre sindicância para apurar denúncia de abusos por professor da FafichEstudantes do segundo período de Ciências Sociais da universidade alegam que o professor Francisco Coelho estaria cometendo abusos nas aulas realizadas no Departamento de Sociologia e Antropologia.

Uma das alunas chegou a gravar o momento em que o educador diz "acho você uma mulher atraente e quero conversar com você na horizontal”, após a jovem questionar sobre o conteúdo da aula.

Por causa das denúncias, o doutor em sociologia pela Universidade de Sorbonne (Paris) foi afastado temporariamente das atividades. Ele pediu desculpas pelo fato, caso tenha sido constrangedor.

A repercussão foi tão grande que o caso foi parar no Ministério Público e no Ministério da Educação. Os representantes do Diretório Central dos Estudantes enviaram a denúncia aos órgãos, reclamando da postura do professor.