A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) obteve a nota máxima - 5 – no Índice Geral de Cursos (IGC). A avaliação é referente a indicadores de qualidade da educação superior em mais de 2 mil instituições avaliadas em 2013. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (17), no Diário Oficial da União (DOU), pelo Instituto de Pesquisas Anísio Teixeira (Inep).
 
Segundo a divulgação, os cursos de graduação da UFMG obtiveram média igual a 4 no Conceito Enade e no Conceito Preliminar de Curso (CPC).
 
Apenas 25 obtiveram o conceito máximo no IGC. Nesse grupo, estão as universidades federais UFMG, UFRGS, Ufscar, UFABC, UFSC, de Lavras e de Viçosa, e as estaduais USP e Unicamp.
 
Os cursos avaliados foram nas áreas da Ciências da Saúde e Agrárias (Agronomia), Educação Física, Farmácia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Medicina, Medicina Veterinária, Odontologia, Nutrição, Tecnologia em Radiologia e Zootecnia).
 
Segundo a diretora de Avaliação Institucional da UFMG, professora Cristina Alvim, a avaliação tem recebido cada vez mais destaque, mas ainda é preciso caminhar.
 
“Vale avaliar cada questão da prova, repensar o nosso processo de avaliação interno (tipo e qualidade das provas), escutar o que os alunos que responderam ao questionário têm a dizer sobre o processo formativo. Vale aprender com coordenadores de colegiado que planejaram a participação do Enade e conseguiram maior engajamento dos alunos no processo. Vale pensar sobre a parceria instituição-professores-servidores-alunos. A UFMG não é um conjunto de prédios, não é um conjunto de cursos e seus currículos, mas é sim, principalmente, as pessoas”, avaliou Cristina.
 
(* Com UFMG)