A UFMG retoma, a partir desta segunda-feira (17), as atividades presenciais não adaptáveis ao modo remoto. Espaços em Belo Horizonte e Montes Claros, no Norte de Minas, poderão ter ocupação máxima de apenas 20% da capacidade e as aulas que não necessitam da presença dos universitários seguirão de forma remota.

O retorno integra a "Etapa 1" de um plano elaborado pela instituição, que é dividido em quatro fases. A decisão, segundo a UFMG, é respaldada em orientações do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da universidade. A mudança foi informada aos alunos na última segunda-feira (10), por meio de uma carta assinada pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira.

Segundo o documento, a queda dos casos e óbitos pelo coronavírus em todo o país foi levada em conta. “Embora seja cedo para nos sentirmos aliviados, maio iniciou-se com queda no número de casos confirmados e óbitos no país, o que configura um pequeno alento e nos possibilita reavaliar quais são as balizas para o retorno de atividades presenciais de forma lenta, gradual e segura”, afirmam os dirigentes no comunicado.

Em 12 de março deste ano, a UFMG havia decidido por retroceder à "Etapa Zero" do plano, em razão da piora dos índices da pandemia. De volta à "Etapa 1", a instituição informou que continuará monitorando os dados para pautar as decisões.

Procurada pela reportagem, a Federal disse que é necessário consultar a administração de cada curso para saber quais atividades estão sendo retomadas a partir de hoje. Em Belo Horizonte apenas podem funcionar – desde que previamente autorizadas pela Secretaria Municipal de Saúde – as escolas de nível superior na área da Saúde (somente para aulas laboratoriais e práticas) e as escolas de educação profissional de nível técnico.

Plano de retomada

Anunciado em setembro do ano passado, o plano de retorno visa a reduzir o número de pessoas em circulação em cada unidade, garantindo condições para o distanciamento social e controle de surtos.

Etapa Zero – estágio que vigora até domingo, dia 16 – as atividades presenciais ficam suspensas, com a realização apenas das essenciais e de manutenção.

Na Etapa 1, a ocupação máxima é de 20% e o critério de percentagem das equipes deverá ser combinado ao da viabilidade de distanciamento social.

Na Etapa 2, o limite deverá subir para 40%. Será necessário que a cidade esteja em alerta verde, no mínimo, desde dois meses antes e que não tenha ocorrido surto da Covid-19 na UFMG.

O aumento gradual das atividades presenciais até o retorno pleno, na Etapa 3, estará condicionado ao controle da pandemia ou à existência de vacina eficaz e disponível para ampla cobertura da população.

Leia mais:
UFMG abre 23 vagas para professores e tutores em especialização em Ensino de Ciências
Pessoas com comorbidade de 18 a 33 anos vacinam nesta segunda em BH; saiba como proceder
Doação de sangue cai pela metade na pandemia e ameaça cirurgias de urgência