A Universidade Federal de Minas Gerias (UFMG) será um dos 12 centros que serão responsáveis pelos testes de fase 3, em humanos, da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech. O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Dória (PSDB), nesta quarta-feira (1º).

Além de Minas, Dória informou que os testes vão ser realizados em nove mil voluntários em centros de pesquisas de mais cinco estados: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná.

A pesquisa clínica será coordenada pelo Instituto Butantan, um dos maiores centros de pesquisa, desenvolvimento e produção de imunobiológicos do mundo.

"Quero ressaltar que o acordo com a Sinovac prevê explicitamente a transferência de tecnologia para a produção em escala industrial da vacina contra o coronavírus em São Paulo pelo Butantan. E assegurar também que a vacina será distribuída gratuitamente pelo SUS em São Paulo e em todo o país. A capacidade de produção do Instituto Butantan é de 100 milhões de unidades da vacina", disse o governador de São Paulo.

Procurada, a UFMG ainda não se manifestou sobre a pesquisa ou sobre quando abrirá cadastro para voluntários.

Procedimento

A vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Sinovac é considerada por muitos especialistas como uma das mais promissoras do mundo, pelo fato de usar tecnologia já conhecida e amplamente aplicada em outras vacinas.

Com essa perspectiva, o Instituto Butantan avalia que sua incorporação ao sistema de saúde deva ocorrer mais facilmente.

O laboratório com sede em Pequim já realizou testes do produto em cerca de mil voluntários na China, nas fases 1 e 2. O modelo experimental aplicado em macacos apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra as proteínas do vírus.

Agora a farmacêutica fornecerá ao Butantan as doses da vacina para a realização de testes clínicos de fase 3 em voluntários no Brasil, com o intuito de demonstrar sua eficácia e segurança. Caso a vacina seja aprovada, os passos seguintes serão o registro do produto pela Anvisa e fornecimento da vacina pelo SUS em todo o Brasil.

“A união da experiência do Butantan na produção de imunobiológicos aos esforços da Sinovac permitirá que logo o país tenha uma vacina efetiva e segura contra a Covid-19, protegendo as pessoas e salvando milhares de vidas”, disse o diretor do Instituto Butantan e integrante do Centro de Contingência do Coronavírus do estado, Dimas Tadeu Covas.

Covid em Minas

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretária de Estado e Saúde de Minas Gerais (SES-MG), nesta quarta-feira, Minas tem até o momento 47.584 casos de coronavírus confirmados e 1.007 óbitos pela doença. O balanço também aponta 27.912 casos recuperados e que a letalidade da doença no estado é de 2,1%.

A reportagem procurou a Secretaria de Estado da Saúde (SES) para comentar os testes da vacina que serão feitos em Minas, mas a pasta informou que as negociações sobre o assunto não passaram pela secretaria e foram feitos diretamente pelo Governo de São Paulo com a UFMG.

Leia mais

Minas ultrapassa mil mortes por Covid-19 e registra 47,5 mil casos