O reitor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Jaime Arturo Ramírez, e o pró-reitor de graduação, Ricardo Takahashi conseguiram convencer os servidores em greve a dar início ao processo de matrícula presencial na próxima segunda (3). A decisão foi tomada na tarde desta quinta (30) durante assembleia geral com os trabalhadores técnico-administrativos em educação, em greve há 64 dias.

A expectativa é de que as aulas comecem no dia 24 de agosto. Já o fim do ano letivo está programado em dezembro de 2015. No entanto, o Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino (Sindifes) alerta que as aulas só começarão quando a categoria entrar em acordo com o Governo Federal.

Até o momento, portanto, só está assegurado o início do processo de matrícula.

Greve

As suspensões das aulas em outras instituições de Minas, como a UFJF, de Juiz de Fora, a Ufop, de Ouro Preto, e a UFVJM, dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, também foram confirmadas pelas reitorias das universidades.

Os servidores técnico-administrativos das universidades federais de Minas Gerais estão desde o dia 28 de maio de braços cruzados. Com cerca de 65% de adesão, a categoria reivindica aumento salarial, fim dos cortes no orçamento da educação, extinção do fator previdenciário e melhores condições de trabalho.