O empresário Márcio Mascarenhas, dono da Pousada Nova Estância e uma das vítimas do desabamento da Barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, criticou a exploração predatória da mineração em Brumadinho, em um postagem no Facebook, no ano passado. A esposa do empresário e seu filho também estão entre as vítimas da catástrofe.

No texto publicado em 3 de fevereiro de 2018, Mascarenhas diz que “estão acabando com tudo em volta”, em referência às atividades da Vale na região de Brumadinho. “Onde antes era uma Mata Atlântica cheia de nascentes, hoje está virando um deserto empoeirado e sem vida”, diz parte do texto.

O empresário,que também era dono da rede de escolas de idiomas Number 1, chega a expor as consequências da atividade da mineração para a população de Brumadinho. “O que é mais importante, o dinheiro ou as pessoas que morrem de doenças pulmonares respirando esse pó poluído com minerais pesados e bebendo água misturada com esse mesmo veneno”.

Nesta quinta-feira (31), data em que Márcio Mascarenhas faria 75 anos, familiares organizam uma homenagem ao empresário, na Igreja da Boa Viagem, a partir das 20h.

 

Facebook/Reprodução

Leia mais:
Carlos Viana será relator de CPI que investigará tragédia de Brumadinho
Novo balanço da Defesa Civil aponta 84 mortos e 276 pessoas desaparecidas
Cacique reclama que tribo pataxó está desassistida pela Vale