Duas universidades em Belo Horizonte passaram a adotar nos últimos dias novas medidas que beneficiam alunos travestis, transgêneros e transexuais.

Desde a sexta-feira (24) o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário UNA aprovou a resolução que garante que esses alunos sejam chamados pelos nomes com que se identificam de acordo com a identidade de gênero. A medida é adotada desde o final de março também pela PUC Minas.

"É uma questão de respeito à nossa identidade, evita um constrangimento enorme. É um reconhecimento da identidade do aluno. Para a maioria das pessoas trans, ouvir o nome de registro é quase uma agressão, pelo menos para mim é como ouvir um palavrão", diz Yueh Fernandes, 22 anos, aluna do curso de jornalismo na UNA.

"Eu encaro essa medida como mais um degrau galgado numa longa e exaustiva escada. Ter a minha identidade reconhecida na instituição onde eu estudo é muito importante. O próximo passo é conseguir ser respeitada não só entre amigos e familia, mas em todo o mundo mesmo", completou a jovem.