O uso de máscaras de proteção contra a Covid-19 passa a ser obrigatório em toda Minas Gerais a partir deste sábado, conforme decreto publicado pelo governador Romeu Zema (Novo) no Diário Oficial de Minas Gerais. 

Conforme o texto, devem utilizar a proteção funcionários, servidores e colaboradores que prestem atendimento ao público em órgãos e nas entidades da administração pública, sistemas penitenciário e socioeducativo, estabelecimentos industriais, comerciais, bancários, rodoviários e metroviários, instituições de longa permanência para idosos, serviços de transporte individual e coletivo, público e privado de passageiros no âmbito do Estado. As lotéricas em funcionamento também foram inseridas no documento.

De acordo com o decreto, a medida é válida enquanto Minas Gerais mantiver o estado de calamidade pública decorrente da pandemia causada pelo novo coronavírus. Quem for pego descumprindo a instrução poderá ser multado.

Fornecimento das máscaras

O decreto enfatiza que as máscaras devem ser fornecidas para os funcionários pelas instituições responsáveis de forma gratuita. 

Os estabelecimentos devem fornecer também outros recursos necessários à prevenção da disseminação do vírus, como alcool em gel e locais para se lavar as mãos com água e sabão. 

Além disso, o texto prevê que a organização tome medidas a fim de se evitar aglomerações.

Medida unanime

A assinatura do documento foi feita na tarde desta sexta-feira (17), durante uma transmissão ao vivo via internet. Zema afirmou no vídeo que a pandemia tem afetado e empobrecido a todos, mas disse que Minas tem feito trabalho exemplar no Brasil no combate ao novo coronavírus.

Com voto favorável unanime pelos 71 deputados estaduais na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa quinta-feira (16), o PL 1.661/20, de autoria do parlamentar Alencar da Silveira Jr. (PDT), exige o uso das máscaras de proteção, por tempo indeterminado, enquanto durar a pandemia de Covid-19, doença que já matou, até esta sexta-feira (17), 35 pessoas e acumula 1.021 doentes no Estado.

"Estamos ficando mais pobres"

Apesar de elogiar o engajamento popular no combate ao coronavírus em Minas, Zema afirmou que está "extremamente preocupado e também triste" com a pandemia, a qual nomeou como um momento de agonia. Segundo ele, a situação tem afetado negativamente a vida, inclusive financeira, dos cerca de 21 milhões de mineiros.

"Todos nós estamos ficando mais pobres com essa crise, mas temos visto pessoas generosas. Eu quero agradecer à Fiemg, na pessoa do Flávio Roscoe, que já doou alguns milhões para o Estado, principalmente para o hospital de campanha e também [para a compra] de equipamentos que irão equipá-lo e também outras unidades de saúde", declarou.

Além disso, o governador relatou que a doença tem afetado a todos, indistintamente. "Estou completando seis semanas sem ir à minha cidade, sem ver ninguém da minha família. Eu tenho certeza que muitas outras pessoas têm sido privadas daquilo que gostariam de fazer. Meus pais são de mais idade e eu faço questão de só estar com eles no momento adequado. Não é hora de colocar a vida de ninguém em risco. Tenho certeza que o pior já está ficando para trás e dias melhores virão", finalizou.

Leia também:
Lady Gaga, Paul McCartney e 'grande elenco' prometem a maior live do mundo neste sábado
Presente em muitos estabelecimentos, caneta pode ser vetor de transmissão da Covid-19
Empresas ajudam no combate à pandemia. O que também é bom para a imagem
Hospital de Campanha no Expominas já pode receber 260 pacientes de Covid-19

(*) Com Anderson Rocha