Muita gente pode pensar que se trata de uma lenda urbana, mas o risco de acidentes elétricos com celulares é real. Somente no ano passado foram registrados 41 acidentes envolvendo smartphones no Brasil, dos quais 23 foram fatais, segundo a Associação Brasileira de Conscientização dos Perigos de Eletricidade (Abracopel). Em Minas, foram dois acidentes devido ao uso errado dos aparelhos, ambos em Belo Horizonte. Felizmente, nenhum deles foi fatal.   

Além de queimaduras graves na pele, os maiores riscos são de explosões, que podem gerar incêndios, e choques elétricos, que podem ser fatais ao se manusear os aparelhos enquanto estão conectados a carregadores, especialmente se isso for feito em ambientes úmidos, como o banheiro e a pia da cozinha.  

Segundo o engenheiro de Segurança do Trabalho da Cemig Demetrio Aguiar, os aparelhos celulares modernos têm uma bateria mais potente do que os antigos e, consequentemente, consomem mais energia. "Isso faz com que os novos smartphones tenham uma autonomia menor, levando as pessoas a utilizarem os seus celulares enquanto estão conectados nos carregadores, simultaneamente. Essa prática acaba resultando em um superaquecimento do aparelho", detalha. 

Este superaquecimento é concentrado na bateria, que é composta de materiais que podem ser inflamáveis ou até tóxicos. "Então, além de a pessoa correr o risco de sofrer uma queimadura ao utilizar o celular enquanto carrega, há também o risco de uma explosão, podendo resultar também em uma queimadura química por causa dos componentes da bateria do celular". 

O risco é ainda maior  com o uso de carregadores piratas, já que produção deles não atende aos padrões internacionais exigidos pelos fabricantes regularizados.

Para o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, a quantidade de ocorrências do tipo tem aumentado e há características semelhantes na maioria dos casos. Normalmente os acidentes acontecem em imóveis mais simples, onde há ligações de energia irregulares, os chamados ‘gatos’, e fios desencapados. Nesses locais, os riscos de acidentes com celulares são ainda maiores.

Veja abaixo, sete dicas do engenheiro para evitar acidentes com celulares:

- Use sempre carregadores oficiais do aparelho

"odo aparelho vem com um carregador próprio. O que acontece é que quando a pessoa perde ou estraga este carregador, ela compra um paralelo e mais barato. Mas os carregadores 'piratas' não têm um projeto voltado para a segurança do usuário e nem sempre estão em conformidade com as normas internacionais de segurança para a produção de aparelhos eletrônicos.

- Não utilize o aparelho enquanto ele está conectado na tomada com o carregador 

É tentador que ao receber mensagens no WhatsApp ou notificações nas redes sociais a gente queira responder e acaba utilizando o aparelho enquanto ele está carregando. Mas a navegação de dados também constribui para o aquecimento do aparelho. Isso acaba gerando um  somátorio do aquecimento gerado pelo processamento daquelas informações com o carregamento da bateria. 

- Tire a capinha do celular durante o carregamento 

Uma coisa que ninguém faz é retirar a capinha do aparelho para recarregá-lo, mas vale lembrar que esta capinha funciona como um cobertor, ou seja, também ajuda a aquecer o aparelho. E com o superaquecimento, a bateria chega a um ponto de temperatura em que ela não consegue mais conter os elementos químicos dentro dela, já que eles começam a se aquecer e dilatar, podendo gerar uma explosão que projeta boa parte destes elementos para fora.  

 - Recarregue o aparelho em uma superfície não inflamável

Ao deixar o aparelho recarregando, é bom que este local seja uma superfície lisa e bem ventilada, longe de materiais que propagam o fogo em caso de explosão, como tecidos de toalha de mesa, cortinas, cama etc. 

- Não recarregue a bateria em ambientes úmidos 

Às vezes, a pessoa vai para o banheiro tomar um banho e conecta o carregador ali, ou deixa o aparelho molhar achando que por ser à prova d'água, como são alguns aparelhos, não haverá problema. Mas o uso do celular no banheiro ou recarregando em cima da pia da cozinha são combinações ideais para um choque elétrico.   

- Não deixe o aparelho recarregando a noite toda

Outra coisa comum é deixar o celular conectado na tomada e ir dormir. Mas os aparelhos novos têm um tempo de recarga bem menor do que os antigos, então é mais seguro a pessoa só carregar o celular quando acordar e enquanto se arruma para trabalhar e tomar o café da manhã. Se isso for feito durante o sono da noite, o aparelho rapidamente vai atingir os 100% de carga e, conectado à tomada, vai superaquecer, podendo explodir e incendiar o imóvel enquanto a pessoa dorme.

- Ao utilizar carregadores portáteis, desconectá-los do aparelho antes de atender

A dica de não se utilizar o aparelho enquanto ele está sendo carregado na tomada é válida também para os carregadores portáteis e para as capinhas de celulares que tem carregadores acoplados. Antes de atender uma ligação ou navegar na internet, desconecte o aparelho do power bank ou retire a capinha que recarrega o celular.

Leia mais:

Carregador 'pirata' e 'gato' podem fazer do celular uma bomba em potencial
Anatel inicia bloqueio de celulares irregulares; Minas está na rota