Uma cena inusitada registrada no Centro de Belo Horizonte tomou conta das redes sociais. Uma mulher foi flagrada levando uma cobra de estimação para passear. No vídeo, ela aparece com uma jiboia no gramado de um canteiro, entre as ruas dos Tupis e Rio de Janeiro. 

A publicação, feita pelo perfil @bhemeupais no Instagram, já conta com mais de 1.300 comentários. Diversos usuários da rede social afirmaram já terem visto a senhora andando em via pública com duas cobras sendo transportadas em um carrinho de bebê. 

"Pelo menos tá de máscara", afirmou André Geraldo, sobre o uso do item de proteção à Covid-19. Wasley Pereira disse que já viu a mulher "várias vezes" próximo ao Mercado Central com os animais no interior do carrinho de bebê.

Já Thais Moreira brincou: "Calma, gente, ela está só levando o pet pra passear".

Dona tem quatro cobras 

Segundo a dona da cobra flagrada no vídeo, uma doméstica de 60 anos, além da espécie que levou para passear no Centro de BH, uma jiboia marrom de 1,5 metro e 2,2 quilos, ela possui outras três espécies de jiboias: duas nordestinas, com 4 kg e 1,8 metro; e uma vermelha, de 80 cm, que seria mais arisca e não sai de casa.

A doméstica afirmou que os animais não são venenosos, mas que podem ficar agitados às vezes. "Não posso dizer que elas não mordem, ou que são mansas. Se elas não gostarem do cheiro da pessoa, ou estarem no clima de cruzar, podem ficar agressivas. Mas não deixo ninguém pegar", afirma.

Segundo a Gerência de Defesa dos Animais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a atitude da mulher pode trazer riscos para ela e para o próximo: "Uma exposição inadequada pode gerar estresse para o animal. Geralmente são animais sensíveis ao meio ambiente, são quietos e pacatos e ficam a maior parte do tempo em repouso e o ambiente externo é extremamente estressante para o animal", explica.

Os animais foram adquiridos no criatório Jiboias Brasil. A empresa é registrada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Quando se compra silvestres em criadouros legalizados, os animais já vêm com toda a autorização necessária para posse, incluindo um microchip de identificação em cada jiboia.

Apesar disso, a Gerência de Defesa dos Animais revela que a autorização é apenas para posse domiciliar e não para fins de exibição.

Companhia contra depressão

A doméstica conta que sofreu a perda de entes queridos neste ano e que os animas à ajudam a se divertir e evitar a depressão. Além de passeios no Centro da cidade, ela também leva os ofídios para o shopping, cinema e barzinhos. Ao voltar, a mulher coloca os animais para verem TV e dormir.

Para quem ficar com medo ao presenciar uma cena desse tipo, a Secretária Municipal de Meio Ambiente aconselha que o ideal é que seja feito um flagrante, por meio de denúncia à Guarda Municipal ou à Polícia Militar Ambiental.

(*) Estagiária do Hoje em Dia, sob supervisão do editor-adjunto Mateus Rabelo

Leia mais:
Incêndios levam Mato Grosso do Sul a decretar situação de emergência
Epamig e UFMG testam vacina capaz de reduzir danos de carrapatos à pecuária