O secretário adjunto de Saúde de Minas, Marcelo Cabral, informou, na tarde desta sexta-feira (29), durante coletiva de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde (SES) na Cidade Administrativa, que a terceira e última fase da campanha de vacinação contra a gripe deste ano foi prorrogada em 25 dias e será encerrada no dia 30 de junho. Além disso, Cabral reforçou a importância do distanciamento e isolamento sociais.

"É importante que todos se vacinem. Estamos nos aproximando de temperaturas mais baixas, com a chegada do inverno. É muito importante que tenhamos esses cuidados", afirmou o gestor. A vacina contra a influenza, vírus causador da gripe, estava programada para ser disponibilizada até o dia 5 de junho.

Conforme o Ministério da Saúde, a recomendação é que as doses existentes nos municípios devem continuar sendo destinadas aos grupos prioritários, sendo eles: pessoas de 60 anos e mais de idade, trabalhadores da saúde, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, motorista e cobrador de transporte coletivo, portuários, povos indígenas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas até 45 dias, adultos de 55 a 59 anos de idade e professores das escolas públicas e privadas.

"Não relaxem" 

No encerramento da coletiva, Cabral ainda mandou uma mensagem aos cidadãos mineiros sobre a importância da manutenção do distanciamento e do isolamento sociais. Conforme o gestor, o Minas Consciente, programa estadual de retomada da economia, não é uma autorização para que as pessoas vão, desordenadamente, para as ruas.

"A gente continua atento. Sabemos que é importante a retomada da atividade econômica. Sabemos que muitos necessitam, aliás, todos nós, necessitamos do nosso ganha-pão. Mas a mensagem é que vocês não relaxem", disse.

Segundo ele, a população deve procurar adotar os cuidados de distanciamento e isolamento sociais e só ir às ruas em caso de real necessidade. "Os idosos e aqueles em grupo de risco, com alguma doença preexistente, tomem cuidados. Se tiver uma pessoa mais jovem para ir à rua, que possa substituir essas pessoas, que façam isso, para que essas pessoas em grupo de risco possam se proteger", orientou.

Cabral também relembrou a importância da utilização das máscaras; de lavar as mãos ou utilizar o álcool em gel (na impossibilidade de lavagem das mãos); e de não levar as mãos aos olhos e à boca.

"A gente tem conseguido, com muito esforço, trazer o controle até aqui. Sabemos que estamos chegando mais próximo de um ataque mais efetivo desse vírus, mas a gente continua fazendo todos os esforços para que a gente tenha condição de fazer esse enfrentamento de modo adequado. Vamos evitar o contato muito próximo nesse momento", declarou.