A partir desta segunda-feira (17), 221 pontos de Belo Horizonte que foram afetados pelas chuvas deste ano começarão a receber obras de reparação. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (14) pelo prefeito Alexandre Kalil que garantiu que, apesar dos estragos e das obras, o Carnaval da cidade não será afetado. 

Ele disse também que não espera uma chuva tão forte para a folia como a de janeiro, mas que se chover, "vai pular Carnaval todo mundo molhado". Para a festa deste ano, são esperados 5 milhões de foliões, quase o dobro da população da cidade. 

Ainda segundo Kalil, as obras para a recuperação após as chuvas devem custar de R$ 150 milhões a R$ 200 milhões, o que não deve ser um problema, segundo o prefeito. 

"Esperamos gastar R$ 150 milhões a R$ 200 milhões para a recuperação total da cidade. O dinheiro está garantido em caixa porque BH economiza, todo ano nós passamos com dinheiro em caixa. Não temos problema financeiro para recuperar a cidade. Até hoje, aqui, só entrou R$ 7 milhões do governo federal, e mais o dinheiro de ninguém, [todo o restante do recurso] é de BH", contou. 

Kalil disse que os 221 pontos foram mapeados em toda a cidade, incluindo becos, favelas e bairros como o Lourdes e o Buritis. A dificuldade, segundo ele, é "não jogar o dinheiro fora". 

"Não vamos colocar pavimento de R$ 1000 o metro quadrado, nem abrir rio e deixar a cidade desctruíoda não. Vamos recompôr a cidade. 80% das obras já estão licitadas, [as destinações dos recursos] só foram desviadas de recapeamentos comuns para a recuperação das vias. Vamos ter o juízo, daqui pra frente, de aprender a fazer coisas mais sustentáveis como prevê o plano diretor aprovado no ano passado", conclui. 

Leia mais:

BH não tem mais previsão de tempestades; só chuvas fracas de verão a partir desta sexta
Obra de 'piscinão' contra enchentes na Vilarinho começa em março; PBH inicia desapropriações
Kalil lidera intenções de voto para a eleição deste ano, segundo pesquisa da CDL/BH
Kalil cancela contrato para reconstrução da Teresa Cristina após denúncia de irregularidades
Menos concreto em BH: Plano Diretor sofre mudança ao restringir canalização de córregos e rios