Na quinta audiência de conciliação entre a Vale e os atingidos pela barragem de Brumadinho, realizada na 6ª Vara da Fazenda Estadual de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (7), o juiz Elton Pupo Nogueira intimou a mineradora a demonstrar um relatório parcial dos pagamentos feitos às vítimas da barragem I, da mina do Córrego do Feijão, que se rompeu em 25 de janeiro. 

A Justiça estabeleceu o prazo até a nova audiência, marcada para 4 de abril.

No último dia 20, ficou acordado que a mineradora deveria pagar um auxílio emergencial a todos os moradores de Brumadinho e demais cidades afetadas pela tragédia, até um quilômetro da margem do rio Paraopeba, entre Brumadinho e a hidrelétrica Retiro Baixo, em Pompéu, no Centro-Oeste de Minas.

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a mineradora também deve apresentar até o dia 21 deste mês a análise da documentação individual dos atingidos e a demonstrar que não haverá falta de água nas cidades que dependem da captação do rio Paraopeba. 

Também ficou acordado durante a audiência que as famílias das comunidades de Córrego do Feijão e Parque da Cachoeira terão direito durante um ano a uma cesta básica no valor de R$ 400,00 e a previsão é que duas mil famílias sejam atendidas.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) espera que até o próxima audiência as famílias já comecem a receber o recurso e, em caso de descumprimento, será liberado o valor de R$ 1 bilhão das contas da empresa, que estão bloqueados, para garantir o pagamento destes auxílios.

Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, o número de mortos subiu para 193. Ainda de acordo com o órgão, 115 pessoas continuam desaparecidas.

No dia 25 de janeiro, a barragem da mina do Córrego do Feijão, da Vale, se rompeu matando centenas de pessoas e contaminando o Rio Paraopeba.

*Com informações do TJMG

Leia mais:
Número de mortos chega a 193 em Brumadinho; outras 115 pessoas continuam desaparecidas
Por laudo favorável, Vale teria trocado de empresa para atestar segurança de barragem em Brumadinho
Vítimas da tragédia de Brumadinho protestam durante audiência de conciliação em BH