A Vale informou nesta quinta-feira (1°) que retomou as obras de alteamento da barragem Itabiruçu, em Itabira, na Região Central do Estado, após a paralisação dos trabalhos na tarde de sábado (27). 

De acordo com a mineradora, a medida foi tomada por segurança após a identificação de uma alteração decorrente de assentamentos do terreno. “Serão realizadas, inicialmente, atividades complementares ao alteamento, como a construção de aterro de impermeabilização do talude e a complementação da instalação dos filtros. Paralelamente a essas intervenções complementares, a equipe técnica do projeto segue com estudos e análises mais aprofundadas sobre os assentamentos diferenciais identificados no terreno”, diz o comunicado da empresa.

Itabiruçu tem 220 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério, número 18 vezes maior que a estrutura que se rompeu em janeiro em Brumadinho, na Grande BH. 

Ainda de acordo com a Vale, a obra não altera os índices de segurança e estabilidade da barragem Itabiruçu, que foi construída pelo método a jusante, considerado o mais seguro. A empresa esclareceu também que faz o monitoramento integral da estrutura, que teve sua Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) renovada em 30 de março deste ano.

Em abril, a Justiça determinou que a Vale comprovasse regularidade e a segurança das barragens nos complexos Conceição e Mina do Meio, em Itabira. A decisão incluía as barragens Conceição, Itabiruçu e Rio do Peixe, no complexo Conceição; e Cambucal I e II e Três Fontes, no Complexo Mina do Meio. O pedido foi feito pelo Ministério Público.

Leia mais:
Vale paralisa obra e retira trabalhadores de barragem em Itabira; situação preocupa moradores
Após Brumadinho, Vale tem prejuízo de 133 mi de dólares no segundo trimestre