Uma nova pesquisa do Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) revelou que a variação do preço do gás de cozinha, em Belo Horizonte, caiu. O último estudo no tema apontou diferenças de quase 70% e um novo balanço, divulgado  nesta sexta-feira (20), mostra a variação de 58%, ou seja, queda de 12%.
 
O estudo, realizado nesta quinta-feira (20), avaliou 93 revendedores e cinco distribuidores. A mesma pesquisa mostra que o item está 0,37% mas caro em BH, do que em janeiro de 2015. A pesquisa para o botijão de gás de cozinha de 13 quilos mostra variação entre R$ 40 e R$ 60, diferença de 50%. Já para o  cilindro de 45 quilos, a variação é de 58,18% (de R$ 165 a R$ 261).
 
Confira a pesquisa completa neste link:
 
Nas oito regiões percorridas pelos pesquisadores do Procon Assembleia, em apenas duas foram encontrados preços médios mais baixos para o botijão de 13 quilos: na Leste, com -2,33%; e na Nordeste, com -0,13%. A alta mais significativa ocorreu no Barreiro, com 4,97%, em média. Para o cilindro, houve aumentos em quatro regiões e reduções em outras quatro.
 
Em outubro de 2014, o Procon da ALMG fez uma pesquisa sobre o mesmo produto. A constatação é que o preço médio do botijão de 13 quilos tinha caído 0,35% até novembro de 2014 e o cilindro de 45 quilos ficou 0,79% mais caro. 
 
O Procon Assembleia alerta para a importância de o consumidor verificar, ao receber o produto, a presença do lacre sobre a válvula, com a marca da empresa engarrafadora. Além disso, o cliente deve ficar atento em relação à qualidade do botijão, recusando os que estiverem enferrujados ou mesmo amassados.