Um vendedor vítima de injúria racial no trabalho será indenizado em R$ 34 mil por dano morais. No processo, Willian Gonçalves dos Reis alegou que foi humilhado no ambiente de serviço, por quase oito meses, por ser negro. Os casos ocorriam em uma loja com sede em Belo Horizonte.
 
Uma testemunha confirmou as denúncias e relatou que o vendedor, ao ser aprovado no vestibular de Direito, recebeu fotos de chimpanzés de terno e gravata. Além disso, um papel de bala "Chita" foi colocado no cartão de visitas da loja que continha o nome do vendedor.
 
Ao analisar o caso, a Justiça do Trabalho entendeu que houve "conduta discriminatória por parte dos empregados e isto, com o conhecimento do empregador". O juiz Manoel Barbosa da Silva, relator do recurso, narrou os fatos como "chocantes e muito graves porque demostram o desrespeito ao próximo".