O vereador Marcos Vinícius Alves da Silva (DEM), de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, apresentou, nessa quarta-feira (27), na Câmara Legislativa do município, um projeto de lei para a reabertura planejada das igrejas da cidade. Segundo ele, os templos evangélicos, católicos, espíritas e de demais religiões são um serviço essencial no apoio a milhares de pessoas.

O projeto deve ser encaminhado pela Casa à prefeitura ainda nesta quinta-feira (28), para depois ser votado. Divinópolis, localizada a cerca de 137 quilômetros de Belo Horizonte, tem 162 casos da Covid-19 e duas mortes causadas pela doença nesta quinta. Os dados são do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Para que voltem a funcionar, as igrejas devem cumprir oito pontos especificados no texto pelo parlamentar, que também é advogado, vice-presidente da Igreja do Evangelho Quadrangular e está no quarto mandato como vereador da cidade.

Dentre eles, estão o uso obrigatório de máscaras no interior dos templos, disponibilização de álcool em gel na entrada dos espaços, respeito ao distanciamento de 1,5 metro entre cada assento, realização de liturgia sem contato físico, afixação de cartazes informativos sobre prevenção à Covid-19, assepsia dos locais, além de recomendações para que idosos e pessoas pertencentes a grupos de risco não frequentem os estabelecimentos.

"A igreja é um serviço essencial. Ela foi reconhecida assim (pelo STF) e tem uma atuação na recuperação física e emocional de milhares de pessoas. A fé e a ciência podem e devem atuar com harmonia, até para que os resultados sejam mais producentes no combate à Covid-19", afirmou o vereador. "Pessoas com depressão, a igreja fechada há mais de dois meses, o prejuízo é irreparável. Nós temos que reabrir com cuidado, com critério, com controle", completou. 

Segundo Marcos Vinícius, a proposta foi pensada para atender a todas as religiões. "Não é só para evangélicos e católicos, espíritas também, que têm um trabalho extraordinário, e todas as outras religiões, que respeitamos, que vemos um valor muito importante", afirmou.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Divinópolis e aguarda um retorno.