Viaturas estacionadas em pontos movimentados do Centro de Belo Horizonte, com o giroflex ligado e sem policiais militares a bordo, fazem parte de um novo modelo de patrulhamento, iniciado há três meses. O comandante de Policiamento da Capital, coronel Rogério Andrade, garante que há pelo menos um policial responsável por cada guarnição e que a estratégia tem contribuído para a redução da criminalidade.

Em matéria publicada na edição de quarta-feira, o Hoje em Dia mostrou patrulhas paradas no Centro da capital e sem policiais por perto.

Segundo o CPC, o objetivo da estratégia é aproximar a gestão policial da comunidade, permitindo que o militar se torne uma referência no local patrulhado. Para isso, a viatura é deixada em um ponto estratégico, enquanto o policial percorre a região, a pé, em um raio definido pela corporação.

O coronel Rogério Andrade nega que as viaturas estejam sendo usadas com as luzes vermelhas acesas para passar uma falsa sensação de segurança. “Todo veículo da PM tem que ter um militar vinculado. O policial deve estar por perto da viatura, senão estará descumprindo ordens”, afirma o coronel.

Ele ressalta que o novo modelo é testado pelo 1º Batalhão da PM e poderá ser ampliado a outras unidades. Para que o policial da guarnição seja localizado com mais facilidade, a corporação deve adotar o uso de coletes refletores, segundo o CPC.

Elogio

O comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Welton Baião, afirma que o modelo está sendo elogiado. “É o que está acontecendo, por exemplo, na Praça Raul Soares (no Barro Preto)”.

O oficial apresentou dados que comprovam a redução da criminalidade. Em maio de 2010, foram registrados 1.098 crimes contra a pessoa no Centro de BH, contra 420 no mês passado (queda de 61,7%).

Na manhã da última quarta, o Hoje em Dia encontrou viaturas da PM paradas, sem policiais a bordo, nas praças 7 e Rio Branco (da rodoviária). Na Praça Raul Soares, o veículo havia sido retirado.

Contagem

Em e-mail enviado ao Hoje em Dia, um sargento reformado da PM, que pediu anonimato, afirmou que viaturas com o giroflex ligado, e sem policiais, também estão sendo usadas em Contagem, na Região Metropolitana de BH