Ainda nesta semana as estações do Move devem começar a contar com vigilância por 24h. O contrato com a empresa vencedora da licitação, a Essencial Sistema de Segurança Eirelli, já está em vigência desde o dia 1º de junho, conforme publicado pela BHTrans no último sábado (6) no Diário Oficial do Município (DOM).

Segundo o órgão que administra o trânsito da capital, assim que a ordem de serviço for liberada, o serviço começará a ser efetivamente prestado. Isso deve ocorrer nos próximos dias, de acordo com informações divulgadas pela BHTrans.

Ainda segundo a publicação, a empresa prestará o serviço até 31de janeiro de 2017 pelo preço de R$ 20.367.993,16.

Serão 192 vigilantes, divididos em dois profissionais por estação, em turno de 12 horas cada, que não trabalharão com armas de fogo. Eles usarão de borracha, sprays de pimenta, controle remoto, algemas, rádios comunicadores, coletes a prova de balas, entre outros objetos. A segurança será feita 24 horas, sete dias por semana.

Conforme denunciado diversas vezes pelo Hoje em Dia, a ausência de vigilância facilita a ação de vândalos e criminosos. Pichação, estruturas quebradas ou danificadas, sensores com defeito são apenas alguns dos problemas, além de crimes como assaltos e agressões.

Para se ter uma ideia, em um intervalo de pouco mais de um ano, desde a inauguração, em março de 2013, pelo menos 327 ocorrências foram registradas pela Polícia Militar no corredor do Move apenas da avenida Antônio Carlos. E das 250 televisões por onde os horários dos ônibus são divulgados, 55 estavam quebradas.

*Com informações de Danilo Emerich