Vinte pessoas com suspeita de febre amarela estão internadas no Hospital Eduardo de Menezes, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, sendo que 3 estão no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Todos os pacientes são moradores do interior de Minas Gerais. As informações foram confirmadas neste sábado (14) pela Fundação Hospitar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).

Nessa sexta-feira (13), agentes de saúde da Prefeitura de Belo Horizonte realizaram a aplicação de inseticida no hospital. A ação que vai se estender por vários dias é para acabar com possíveis focos do Aedes aegypti, um dos mosquitos transmissores da doença. 

A equipe de zoonoses da PBH e a equipe de manutenção do hospital vistoriaram toda a área da instituição e o entorno, principalmente a vila de extensão do córrego Bonsucesso. "As medidas de prevenção aos focos do mosquito têm o objetivo de evitar possíveis transmissões da febre amarela na capital", informou a Secretaria Municipal de Saúde, por meio de nota.

Neste sábado (14), foi realizada mais uma aplicação de inseticida nos prédios que abrigam a creche, a administração e manutenção do hospital. Já na área da vila na extensão do córrego Bonsucesso, a aplicação está marcada para a próxima terça-feira (17).

Na segunda-feira (16), serão instaladas telas com inseticidas nas alas do hospital que recebem os pacientes com suspeita da doença e também na creche da instituição. Também foram instaladas armadilhas, chamadas ovitrampras, que têm cor e cheiro que podem atrair a fêmea do mosquito e possibilitam avaliar a concentração de ovos. 

A Secretaria de Saúde de BH informou que não existe nenhum caso confirmado da doença na capital e que todos os postos de saúde estão abastecidos com a vacina contra a febre amarela.

Leia mais:
Morrem 54 macacos com suspeita de febre amarela no ES
Para bióloga, tragédia em Mariana pode ter relação com o surto de febre amarela em Minas
PM, Bombeiros e Defesa Civil são reforços no combate à febre amarela em Minas
Limpeza no entorno e telas no hospital onde estão os doentes