O Mineirinho apresenta problemas de locomoção para pessoas com deficiência, especialmente os cadeirantes. A constatação foi feita por integrantes da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor, da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH), que visitou o estádio nesta quinta (16).

Entre os problemas detectados pelos vereadores, engenheiros e representantes da Prefeitura de Belo Horizonte e do governo do Estado estão buracos na rota que dá acesso ao ginásio e falta de cadeiras para acompanhantes de pessoas com deficiência. 

O número de vasos sanitários nos banheiros também é insuficiente e, apesar de as pias serem rebaixadas, as torneiras não estão instaladas em local ideal. Nas bancadas e bilheterias dos bares também não existe espaço destinado a deficientes.

O Mineirinho é de responsabilidade do governo de Minas e, segundo o superintendente de Estruturas Esportivas da Secretaria Estadual de Esportes, o ginásio foi projetado há quase 40 anos, quando ainda não existiam discussões sobre acessibilidade. Henrique Antunes informou que algumas adaptações já foram feitas, mas reconhece que há muito a fazer.

O engenheiro informou que responsabilidade pelos ajustes são da Prefeitura de Belo Horizonte. A diretora de Políticas para a Pessoa com Deficiência da PBH, Ana Paula Ribeiro, também reconheceu que os avanços são lentos. “A gente vem avançando, mas ainda falta muito. Mas não pode haver retrocesso”, afirma.

Tanto o Estado quanto o município alegaram falta de recursos para obras do local, mas se comprometeram a fazer estudos que viabilizem as adaptações do estágio às leis vigentes.

A visita técnica também vai ajudar a aprimorar o Projeto de Lei 367/2017, do vereador Irlan Melo (PR), que trata da acessibilidade, atendimentos preferenciais e direitos da pessoa com deficiência na capital mineira.

Inaugurado em 1965, o Mineirinho foi projetado pelo arquiteto Richard Lima e é tombado como Patrimônio Cultural do Município. O ginásio tem mais de mais de 54.000 m² de área construída; a capacidade é para 25 mil pessoas. 

(*Com CMBH)