Estudantes do Colégio Militar (CMBH) serão os primeiros em Belo Horizonte a retomar o ensino presencial após mais de 180 dias longe da escola devido à pandemia. A volta às aulas, na unidade do bairro São Francisco, na Pampulha, prevista para segunda-feira (21), foi autorizada pelo Exército, responsável pela instituição.

Por enquanto, conforme as secretarias municipal e estadual de educação, não há previsão de retorno nas redes pública e privada. Em nota, a prefeitura da capital informou não ter competência para legislar sobre o ensino federal, como é o caso do Colégio Militar. "A reabertura de escolas estaduais e federais é de responsabilidade dos respectivos entes", diz nota enviada.

A direção do CMBH explicou que adotou uma série de medidas sanitárias para evitar a transmissão do vírus na instituição. Neste primeiro momento, somente os alunos do 8º e 9º anos do ensino Fundamental - matriculados nos 6º e 7º anos seguem afastados. Estudantes do Médio também devem retornar.

Para evitar aglomeração e permitir o distanciamento, as aulas serão escalonadas. Às segundas, quartas e sextas-feiras, apenas os jovens dos 1º, 2º e 3º ano do Médio. Às terças e quintas será a vez do Fundamental.

A presença dos adolescentes será obrigatória. Somente os que comprovem integrar o grupo de risco poderão continuar com o ensino remoto. "Quem não estiver no colégio e não for do grupo de risco terá sua falta computada", determinou a direção da instituição.

Segurança

Na entrada do colégio, que terão os portões abertos das 6h30 às 7h, os alunos vão ter a temperatura corporal verificada. Depois, receberão álcool em gel ou líquido nas mãos e objetos pessoais.

Nas salas de aula, as portas e janelas permanecerão abertas para garantir a circulação do ar. Além disso, conforme o CMBH, todos os espaços foram adaptados para que a distância mínima de 1,5 metro seja cumprida.

Neste primeiro momento, as aulas de educação física, música, ensino integral e outras atividades extracurriculares permanecem suspensas. A cantina também ficará fechada, mas um lanche será servido aos alunos durante o intervalo.

Diretor de educação preparatória e assistencial do colégio, o general Francisco Carlos Machado Silva comemorou o retorno. "Serão jornadas memoráveis, quando, de forma tranquila e organizada, poderemos matar a saudade das nossas rotinas e bradar um poderoso Zum zaravalho! (“saudação escolar”, em tupi-guarani)", declarou, em comunicado direcionado aos pais.

Veja algumas regras estabelecidas para o retorno das aulas:

  • Obrigatório o uso de máscara facial durante todo o período;
  • As máscaras devem ser nas cores branca, preta e cáqui;
  • Na sala de água, os alunos devem evitar compartilhar objetos pessoais, como caneta, lápis, borracha e livros;
  • Cada aluno deverá levar a própria garrafa de água, que poderá ser reabastecida nos bebedouros da instituição;
  • Não serão permitidos abraços, beijos, apertos de mão ou qualquer tipo de contato físico;
  • Caso o aluno apresente algum sintoma da Covid-19 no Colégio, os responsáveis serão acionados para buscá-lo;
  • As aulas de educação física, banda de música, turno integral e outras atividades extracurriculares estão suspensas

Apesar da presença obrigatória, a direção do Colégio Militar frisou que o aluno que apresentar qualquer sintomas da Covid-19, como dor de garganta, coriza, perda de paladar ou febre, deve comunicar à instituição e se afastar imediatamente. A medida também deve ser adotada caso algum membro da família esteja com suspeita da doença.

Ensino retomo

Mesmo com a retomada das aulas presenciais, o ensino também continuará remotamente no ambiente virtual de aprendizagem (AVA), e os professores que fazem parte do grupo de risco vão continuar no teletrabalho.

Em nota, o CMBH destacou que, desde que as aulas foram suspensas, em março, os alunos prosseguiram o ensino pela internet. "Apesar de todas essas ações empreendidas, nada substitui a presença do estudante na sua escola. Ali é o seu lugar!", destacou o general Francisco Carlos Machado Silva.

Mesma resposta

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informou que "o Colégio Militar é vinculado ao Governo Federal, responsável pela sua administração". Conforme a pasta, a decisão de retomada do ensino presencial na instituição "não passa pelo Estado".

Leia mais:
Colégio Militar de BH anuncia retorno das aulas presenciais a partir de segunda-feira