O segundo voo com brasileiros deportados dos Estados Unidos neste ano chegou a Minas nesta sexta-feira (4). O desembarque das 83 pessoas ocorreu às 14h45, como programado, no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. A política de deportação em massa, que foi fortemente adotada na gestão de Donald Trump, ganhou continuidade com o presidente Joe Biden. O primeiro avião pousou em 21 de maio.

A informação foi confirmada pela BH Airport, concessionária que administra o terminal, em Confins, na Região Metropolitana de BH. Conforme a empresa, esse é o 24º voo desde 26 de outubro de 2019, quando o Brasil voltou a permitir o recurso. De lá para cá, já foram 1.308 deportados.

Veja abaixo a listagem de voos com deportados:

  1. 26 de outubro de 2019 - voo com 50 pessoas
  2. 24 de janeiro de 2020 - 60 pessoas
  3. 7 de fevereiro de 2020 - 100 pessoas
  4. 14 de fevereiro de 2020 - 86 pessoas
  5. 19 de fevereiro de 2020 - 17 pessoas 
  6. 02 de março de 2020 – 113 pessoas
  7. 06 de março de 2020 – 55 pessoas
  8. 09 de março de 2020 – 42 pessoas
  9. 16 de março de 2020 – 64 pessoas
  10. 20 de março de 2020 –  47 pessoas
  11. 23 de março de 2020 –  38 pessoas
  12. 27 de março de 2020 –  43 pessoas
  13. 3 de abril de 2020 –  37 pessoas
  14. 24 de abril de 2020 –  85 pessoas
  15. 15 de maio de 2020 –  80 pessoas
  16. 29 de maio de 2020 –  22 deportados
  17. 19 de junho de 2020 –  39 pessoas
  18. 17 de julho de 2020 –  33 pessoas
  19. 21 de agosto de 2020 –  52 pessoas
  20. 25 de setembro de 2020 –  52 pessoas
  21. 30 de outubro de 2020 –  51 pessoas
  22. 04 de dezembro de 2020 –  29 pessoas
  23. 21 de maio de 2021 - 30 pessoas
  24. 04 de junho de 2021 - 83 pessoas

Total: 1.308 pessoas

Deportação em massa

O Brasil recusou o recurso de deportação em massa entre 2006 e 2019. Nesse período, o Itamaraty defendeu que era necessário avaliar cada caso, individualmente, permitindo que brasileiros pudessem reverter o processo, ao comprovarem laços familiares ou emprego nos Estados Unidos.

A situação, porém, foi modificada em 2019, após pedidos de Donald Trump ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Desde então, a deportação em massa tem ocorrido, com voos que chegam pelo Aeroporto de Internacional de Belo Horizonte. Havia expectativa de que a prática fosse interrompida após o início da gestão Biden, o que não se comprovou.

Leia mais:
Com alívio e emoção, professores do ensino superior de BH celebram 1ª dose da vacina contra a Covid
Minas tem 4 regiões com ocupação dos leitos de UTI Covid superior a 90%

Nova linha de soundbars Samsung parte de R$ 3,1 mil