O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que o Estado seguirá o programa federal de imunização contra a Covid-19 e que, até o momento, ninguém tem a vacina. O gestor ainda criticou estados brasileiros que alardeiam uma vacinação antes dos demais.

"Tem gente falando que já comprou vacina. É muito estranho isso. Quem está falando que tem, está aí o relatório da Anvisa: ninguém solicitou até o momento", afirmou Zema, ao mostrar o documento, disponível no site da agência federal, em coletiva na Cidade Administrativa, nesta segunda-feira (14).

Zema explicou que a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) trabalha em consonância com o Ministério da Saúde para a obtenção e distribuição da imunização. Segundo ele, esse é o formato mais correto e seguro a se seguir, pois garante o controle centralizado das ações em todo o país.

"Quem tomar a vacina A, caso ele tenha alguma reação adversa, será possível saber que foi aquela que ele tomou. A vacina B, C, a mesma coisa", disse.

O governador ainda criticou cidades ou estados que afirmam tentar a vacinação por conta própria ou adiantada. "Não é justo quem mora numa cidade ou estado ser vacinado antes, ter prioridade, ser colocado na frente ou no fim da fila. O certo é que todo brasileiro tenha acesso à vacina. É a campanha que estamos apoiando, que dará certo e que salvará o maior número de mineiros e de brasileiros", afirmou.

Na semana passada, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que fez acordos com o Instituto Butantan, em São Paulo, e com a UFMG para garantir a imunização dos moradores contra a Covid-19.

Não há data, no entanto, para o início da vacinação na capital, o que deverá ocorrer apenas após a aprovação da Anvisa.

Nesse sábado, em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, o infectologista Unaí Tupinambás, membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da PBH, afirmou que a descentralização da compra, da distribuição e da campanha de vacinação contra o coronavírus é um erro.

Leia também:
Festa em Betim autorizada pela prefeitura descumpre medidas de prevenção à Covid-19
Última cidade livre do coronavírus no Brasil, Cedro do Abaeté confirma dois primeiros casos de Covid