Zema se manifesta sobre impasse envolvendo carros de som no Carnaval de BH: 'não é fato político'

Juliana Baeta
jcosta@hojeemdia.com.br
21/02/2020 às 14:24.
Atualizado em 27/10/2021 às 02:42
 (Riva Moreira )

(Riva Moreira )

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, manifestou-se sobre o impasse entre os blocos de rua de Belo Horizonte, impedidos de utilizarem os caminhões-palco, e as forças de segurança. Para isso, ele usou seu Twitter nesta sexta-feira (21). Zema disse que "não se trata de fato político, mas a preservação das vidas dos mineiros e turistas". 

Antes disso, a única manifestação do governador sobre o assunto fora o anúncio da reunião entre os blocos e a polícia, que aconteceu na Cidade Administrativa nessa quinta-feira (20). 

Veja abaixo:

Não quero inviabilizar o carnaval. Mas é preciso garantir a segurança da população. Poucos carros de som e trios estão irregulares. Dos quase 530 blocos, 15 apresentaram irregularidades. Não se trata de fato político, mas a preservação das vidas dos mineiros e turistas.— Romeu Zema (@RomeuZema) February 21, 2020
A PM encontrou, em um dos carros, tanque de combustível em cima de um gerador, podendo causar um incêndio. Se lembram do caso de Bandeira do Sul? Uma serpentina metalizada atingiu um cabo de média tensão, causando 16 mortes e dezenas de feridos. Queremos evitar uma tragédia! pic.twitter.com/xGWHi6qMVS— Romeu Zema (@RomeuZema) February 21, 2020

Entenda

Tudo começou com a apreensão de dois caminhões-palco pela Polícia Militar durante cortejos de blocos de BH no último fim de semana. O motivo alegado foi a falta de um documento, até então, nunca exigido pelas autoridades: o Certificado de Adequação a Legislação de Trânsito (CAT), que mostra quais adaptações foram feitas no veículo para que ele se tornasse o chamado "caminhão-palco", utilizado por boa parte dos blocos de Belo Horizonte.

Ocorre que a fiscalização sobre o documento só começou recentemente, pouco antes da folia oficial da cidade e em meio ao pré-Carnaval da cidade. Sem tempo viável para se adequar à exigência, muitos blocos, inclusive que já desfilam há uma década na cidade, foram prejudicados, como o Juventude Bronzeada, que decidiu cancelar o desfile. 

O desacordo foi parar na Justiça e, em último recurso, os advogados que representam os  blocos impretaram um mandado de segurança nesta sexta-feira (21) para liberar os carros de som. A decisão é aguardada ainda hoje. 

Leia mais:

     

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por