O governador Romeu Zema se reuniu, nesta terça-feira (22), por videoconferência, com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Luiz Fux, para tratar das negociações da repactuação do acordo sobre a tragédia de Mariana, na região Central.

O CNJ apresentou um conjunto de ações que orientarão o início das negociações entre os governos de Minas e Espírito Santo, União, ministérios públicos Federal e Estaduais, defensorias públicas Federal e Estaduais, Judiciário, as empresas Vale, BHP Billiton e Samarco.

Essa foi a segunda reunião com a presença de Fux e Zema. A primeira ocorreu em 6 de abril. O objetivo das autoridades é costurar um acordo semelhante ao de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, fechado em R$ 37,6 bilhões, com destinação do dinheiro para construção de rodovias, hospitais, escolas.

A barragem da Samarco, cujas donas são a Vale e BHP Billiton, rompeu-se em 5 de novembro de 2015, provocando 19 mortes. Outras 500 mil pessoas foram atingidas ao longo da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, que recebeu milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério, destruiu casas e atingiu o oceano no Espírito Santo.