O ano está chegando ao fim e os dias que se aproximam são de celebração e festa. Tão importante quanto o look a ser escolhido para brilhar na ocasião é a lingerie que compõe a produção. Nada pior do que calcinha marcando no vestido de seda ou sutiã tirando a graça de um decote. Um vestido justo, por exemplo, perderia todo o charme com calcinha marcando na roupa. Neste caso, a peça sem costura ou de fio duplo no bumbum não deixa marcas no vestido.

Para quem prefere apostar na sorte e brincar com o colorido da lingerie, a diretora do grupo Água Fresca, Juliana Moraes, observa que o tom da calcinha e do sutiã não pode concorrer com o da roupa. Para velar a transparência de uma pantalona ou pantacourt branca, por exemplo, lingeries em tons de nude são perfeitas. “Até mesmo tons de vermelho e rosa, dependendo da cor da pele”.

Calcinhas, bermudas e semibody com efeitos firmadores, que disfarçam as imperfeições e de tecido ultrafino e compacto são excelentes pedidas. Segundo Juliana, essas peças aderem ao corpo, possibilitando o máximo de conforto e o melhor: sem deixar marcas. A melhor estratégia é experimentar a lingerie junto com a roupa de festa e antes da ocasião.

O desejo de começar o ano bem vestida e cercada de boas energias é um aperitivo para comprar uma nova lingerie, principalmente uma calcinha. Além da clássica calcinha branca, para trazer paz, a tradição indica verde para manter a esperança intacta; amarela ou dourada para quem quer dinheiro e prosperidade; rosa para quem quer um amor de verdade. Ligada à espiritualidade, o azul significa anseios de um ano calmo e bastante místico, assim como o roxo, cor voltada para a contemplação e meditação. E, para quem deseja muita paixão e energia em 2016, a dica é optar pela calcinha vermelha.